Mauá, Minha Cidade, Sua região

Mauá firma convênio com Hospital Vital e amplia número de leitos para pacientes com coronavírus

Mauá firma convênio com Hospital Vital no combate ao coronavírus
Cidade é a primeira do ABC a oficializar parceria público-privada que contatará com mais 29 leitos e Atila busca novos acordos. Foto: Presley Targino/PMM

Frente ao avanço pelo Brasil do novo coronavírus,  o prefeito de Mauá, Atila Jacomussi, assinou nesta terça-feira (31)  convênio que estabelece  parceria público-privada com o Hospital Vital e a Medical Health. Por meio do acordo,  serão destinados até 29 leitos para pacientes com a patologia, sendo 24 ede isolamento e cinco de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), equipados com novos respiradores.

“Temos que buscar o melhor para as pessoas. Muitos falam da economia, mas agora é o momento de falarmos de saúde, porque não existe economia sem gente”, disse Atila.

O prefeito afirmou que o governo trabalha para realizar novos acordos com a rede privada, visando ampliar a cobertura de pacientes infectados pelo vírus. A administração municipal iniciou estudos para aumentar o número de leitos do Hospital de Clínicas Doutor Radamés Nardini, que atualmente designou dez espaços para atender exclusivamente casos de covid-19. O Paço também busca novos respiradores para a rede pública.

Nesta terça-feira, a cidade registrou dez casos confirmados de coronavírus  (sete em hospitais particulares e três da rede pública), 321 casos suspeitos, 39 descartados e, até o momento, nenhuma vítima fatal. “Mauá não está poupando esforços nessa batalha. Já saímos na frente com a inauguração dos três lavatórios públicos e vamos fazer mais. Reforço o pedido para a população ficar em casa e deixar a gente trabalhar para que juntos possamos vencer essa guerra”, pontuou o prefeito.

Decreto

Atila assinou nesta segunda-feira (30) o decreto municipal 8.684, já publicado no Diário Oficial e que altera parte do decreto 8.672, fr 23 de março,  o qual estabeleceu o estado de calamidade pública em Mauá, em decorrência da pandemia. As novas normas permitirão o funcionamento de farmácias de manipulação e comércio de ervas medicinais; lojas de materiais de construção; estacionamentos até 300 metros de unidades de saúde, unidades de pronto atendimentos e hospitais; estabelecimentos de produtos agropecuários (sementes, fertilizantes, vacinas e remédios); comércio de embalagens; e atividades para pesquisa científica.

O prefeito destacou que a administração municipal exigirá o uso obrigatório de EPIs (equipamentos de proteção individual), atendimento fracionado à população para evitar aglomerações, e higienização frequente dos espaços coletivos. “Precisamos pensar na segurança da população e também dos trabalhadores de comércios de produtos essenciais. A nossa GCM (Guarda Civil Municipal) e fiscais passarão pelos estabelecimentos para averiguar as condições e segurança dos funcionários”, destacou.

Programa Feira Segura
O prefeito também autorizou o retorno de feiras livres, por meio do programa Feira Segura, já a partir desta semana, seguindo regras de segurança. Entre as diretrizes, estão o distanciamento de quatro metros dos lotes, três metros entre as barracas, obrigatoriedade da embalagem dos produtos hortifrúti. A separação por lotes será por quatro segmentos: lote um (alimentos, pastel, lanches, caldo de cana, sendo proibido montagem de tendas ou mesas), lote dois (pescados, aves e miúdos), lote três (hortifrúti, ovos e doces) e lote quatro (roupas, itens domésticos, calçados e similares).

Atendimento social
Em transmissão ao vivo pela sua página no Facebook na noite desta terça-feira, Atila também comunicou a reabertura dos restaurantes populares, das 11h às 13h, de segunda a sexta-feira, para fornecimento de refeições por marmitex. O Fundo Social de Solidariedade arrecadará doações para kits de alimentação e higiene, que serão destinados a famílias em situação de vulnerabilidade social, também contemplando alunos da rede pública de ensino. Os beneficiados precisam ter cadastro nas unidades do Cras (Centro de Referência de Assistência Social).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*