Mauá, Minha Cidade

Mauá entrega 10 novos leitos de UTI no Nardini e vai retomar obra do 4º andar

A Prefeitura de Mauá entrega hoje (8) 10 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Nardini, que agora conta com 38, além da revitalização da farmácia, almoxarifado, conforto médico, sala do Coreme (Comissão de Residência Médica), Central de Distribuição de Medicamentos e recepção. Durante evento nesta quarta-feira (7), o prefeito Atila Jacomussi (PSB) anunciou a retomada das obras do 4º andar do Nardini, que têm prazo de entrega para final de 2019 e investimento na casa dos R$ 4 milhões.

Segundo o prefeito, as obras da UTI tiveram investimento de R$ 1,2 milhão, parte recursos do governo do Estado, complementada com o tesou­ro municipal. Jacomussi destacou que os traba­lhos foram paralisados durante a gestão interina de Alaíde Damo (MDB). “No segundo dia após nosso retorno retomamos as obras. É mais uma etapa que vai culminar com as obras do pronto-socorro, que abrimos e que, infelizmente, está de portas fechadas por opção da gestão interina. O atendimento vai ser retomado a partir de março”, destacou.

O prefeito afirmou que o PS está pronto, mas que passa por readequações. Além disso, segundo Atila, o governo está aguardando a abertura de chamamento público para contratação de nova Organização Social de Saúde (OSS). “Após a conclusão poderemos reabrir as portas do pronto-socorro do Nardini, que será uma unidade, principalmente, de pronto atendimento.”

Atila também afirmou que a parceria com a Santa Casa de Mauá deve ser retomada no início de janeiro. O contrato com a entidade filantrópica encerrou em agosto e não foi renovado. “A Santa Casa está apresentando alguns documentos restantes, que passarão pelo promotor (José Luiz) Saikali e pelo MP (Ministério Público)”, pontuou.

FUNDAÇÃO DO ABC

Questionado sobre as negociações com a Fundação do ABC, gestora do setor da saúde do município, o prefeito afirmou que o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) deve ser assinado dentro de cinco dias. Durante o governo interino, chegou ser anunciado o rompimento do contrato com a FUABC, mas as negociações foram retomadas, garantindo a continuidade dos serviços até que o município contratasse nova entidade.

“A gestão interina deixou a parceria encerrar, acabou pagando a Fundação dois meses sem contrato, de forma ilegal, o que chegou ao MP, que chamou o município, a instituição e o promotor Saikali para assinar um TAC, que vai ser pago de forma emergencial. Simultaneamente vai ser aberto chamamento público, que deve se dividir em dois ou três lotes, que tanto a Fundação quanto qualquer OSS que venha trazer qualidade ao serviço e melhore o atendimento da saúde será escolhida.”

Segundo o prefeito, em re­­lação à divergência de valores do débito do município com a FUABC, estimado em cerca de R$ 125  milhões, será feita apuração por empresa contratada. “A Fundação terá de apresentar as notas fiscais dos serviços. Com a apuração do que devemos, vamos encaminhar para a Câmara o parcelamento dessa dívida com embasamentos legais.”

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*