Editorias, Notícias, Política

Marina diz que não mudará para atrair petistas nem fará discurso oportunista

Marina diz que não mudará para atrair petistas nem fará discurso oportunista
Marina Silva: “há no Brasil uma mania de fulanizar as leis”. Foto: Arquivo

Pré-candidata ao Planalto que mais se beneficia com a saída do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) da disputa, Marina Silva (Rede) disse nesta quinta-feira (24) que não fará um “discurso oportunista” nem adaptará suas propostas para atrair os eleitores do petista. Segundo pesquisa Datafolha, Marina recebe até 20% dos votos lulistas nesse cenário.

Questionada, em sabatina realizada pela Folha de S.Paulo, UOL e SBT, se ela se aliaria ao PT na disputa, a pré-candidata disse ter “todo o respeito” aos eleitores petistas, mas declarou que sua candidatura “é independente”.

Eleitores do Lula

“É uma atitude de respeito não ter discurso oportunista, mudar de discurso só para agradar o eleitor. O eleitor não é bobo, as pessoas sabem as minhas convicções e, se por ventura, alguma pessoa que tinha intenção de votar no ex-presidente Lula e vier a votar em mim, vai votar sabendo o que eu defendo.”

Candidatura de Lula

“A Lei da Ficha Limpa diz que ninguém que é condenado em segunda instância -é claro que resguardados todo o trâmite legal e o direito à defesa- pode ser candidato. Há no Brasil uma mania de fulanizar as leis.

Por mais relevante que a pessoa seja politicamente, economicamente, socialmente, a lei não pode se adaptar às pessoas. As pessoas é que têm que se adaptar à lei.”

Condenação do petista

“Os advogados tiveram todo o direito de recorrer às instâncias cabíveis de acordo com o direito à ampla defesa. A condenação em segunda instância cria um estranhamento para a sociedade em função do foro privilegiado. Parece que tem um grupo, dos empresários e políticos que não têm prerrogativa de foro, que estavam sendo condenados, e os que têm estão escondidos atrás do foro.”

Congresso

“Eu não negociaria princípios. E eu não vou olhar para o tamanho do partido, mas para o tamanho do senador, do deputado. Vou buscar aquele que está no banco de reservas. Essas pessoas precisam entrar em campo. Não é a lógica do partido pelo partido. É a lógica de ter um grupo de parlamentares que se orientam por princípio.”

Economia

“Vamos manter a política macroeconômica que deu certo: superávit primário, câmbio flutuante e meta de inflação. Não vamos inventar a roda. Quem chega e vem inventar a roda em cima de nada cria o desequilíbrio que a Dilma e o Temer criaram.”

“Diante de uma situação como a que vivemos hoje, temos que pensar no grave problema do gasto público, que tem que ser contido -sem isso não vai ter superávit primário-, e recuperar a credibilidade para ter investimento duradouro no Brasil.”

PEC do teto dos gastos

“Sou a favor do controle do gasto público. O que eu não concordo é fazer isso congelando o orçamento público por 20 anos. Não é inteligente.”

“Tem que gastar metade do crescimento do PIB: cresceu 4%, você pode gastar 2%. Aí você nunca vai ter um descompasso entre o que arrecada e o que você está gastando.”

“Se Deus quiser, no meu governo, o país vai voltar a crescer. E uma vez voltando a crescer, você tem que ter margem para poder fazer a destinação dos recursos.”

Reforma da Previdência

“O problema é a reforma da Previdência draconiana que o Temer tentou fazer. Ele, no afã de agradar o mercado, esqueceu de que não se pode conversar só com um lado e cometer injustiça. A questão da idade mínima precisa ser debatida, porque hoje as pessoas estão vivendo mais, mas tem que ser com a sociedade, com os trabalhadores.”

Reforma trabalhista

“Você não pode ter uma reforma trabalhista para precarizar as relações de trabalho. A reforma trabalhista é para aperfeiçoar, melhorar o contrato de trabalho de forma a facilitar a vida do empregado e do empregador. Agora, fazer uma reforma trabalhista assegurando que o trabalhador pode negociar seus direitos em função de uma situação de dificuldades, não acho que é o melhor caminho.”

Caixa dois

“Durmo com a consciência tranquilíssima. O que não podia ser declarado não podia ser recebido [na sua campanha em 2014]. Não tem um centavo de caixa dois na minha campanha. E mesmo de empresas que estejam citadas na Lava Jato, o que foi doado para mim está 100% declarado.”

Segurança
“A obrigação de reprimir o crime, de combater o crime organizado, o tráfico de drogas e a violência é do Estado. As democracias evoluíram. Dizer que vamos resolver distribuindo arma para população, nós vamos criar uma guerra civil. Não vai ser o cidadão que vai fazer justiça com as próprias mãos. Pelo amor de Deus, estamos em pleno século 21.”

LGBTs

“Não se pode discriminar ninguém, não pode haver preconceito contra ninguém. Em relação ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, isso já está assegurado pela lei, com uma decisão do Conselho Nacional de Justiça. Obviamente que também temos que defender a liberdade de religião: você não pode dizer para o padre, o pastor, o rabino que ele é obrigado a celebrar um casamento que ele acha que não é de acordo com os princípios da fé.”

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*