Arte & Lazer, Destaque, TV

Márcio Canuto chega a três décadas e meia de animação na cobertura do Carnaval

Foto: DivulgaçãoLá vai Márcio Canuto. O alagoano de 70 anos chega, em 2017, à sua 35ª cobertura em Carnavais. Fazendo a transmissão do desfile das escolas de samba de São Paulo, na Globo, ele promete interagir com os apresentadores Monalisa Perrone e Chico Pinheiro, além de se misturar ao público com a mesma vitalidade de sempre. “Quem faz o Carnaval é o povo. O segredo de uma cobertura diferente é prestar atenção à arquibancada, ficar atento. A criatividade das pessoas dá o tom à festa.”

E foi com criatividade que ele começou a acompanhar o Carnaval. No começo dos anos 1980, Canuto trabalhava na TV Gazeta, retransmissora da Globo em Alagoas, e viajava para acompanhar os Carnavais de São Paulo e do Rio. Sua atuação era digna de estandarte de ouro: a cada entrada de uma escola de samba, ele vestia a fantasia do personagem principal da agremiação e contava a história do enredo. “Era uma loucura. Imagine a correria de mudar de roupa a toda hora! Ainda tinha de criar textos para todas as escolas! Terminava acabado, mas valia a pena.”

Hoje, Canuto não faz mais isso. Mas a voz potente e os gestos exagerados, sua marca, continuam. “Eu coloco calor nas minhas reportagens. Tudo o que faço é com entusiasmo, desde os meus 16 anos”, diz.
Foi com essa idade que, ainda em Maceió, começou a carreira de repórter, em um jornal. Logo, sua desenvoltura no falar foi descoberta pela rádio, que o chamou, e depois pela televisão. Ele atuava na área de esportes.

“Fiz uma reportagem para a TV Gazeta em um jogo da seleção brasileira, no estádio Rei Pelé. A produção do “Fantástico” gostou e, de Alagoas, passei a contribuir com o programa”, lembra.
Em 1998, o “SPTV” (Globo) passou por uma reformulação, e os diretores procuravam alguém que pudesse mostrar uma linguagem diferente. Canuto foi o escolhido.

“Eu ainda fazia reportagens, mas já era chefe de redação na TV Gazeta. Recebi o convite e topei. Foi um recomeço.”

Canuto levou, então, a sua irreverência para as denúncias. Certa vez, celebrou com moradores de uma rua -com direito a bolo e vela- os dez anos de um buraco que nunca era arrumado pela prefeitura.
Mas, amanhã e no sábado, o negócio dele será a alegria. “Como o futebol, o Carnaval mostra a alegria genuína do povo brasileiro.”

Carnaval de SP
Hoje, às 23h; e sábado, às 22h45, na Globo

Carnaval do Rio

Dom., às 22h20; e seg., às 22h45, na Globo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*