Diadema, Política-ABC, Sua região

Maninho ‘puxa’ mais de 300 pessoas em Caminhada da Saúde

Marinho criticou atual gestão dos equipamentos de saúde. Foto: Olivia Tesser/Divulgação

O candidato à Prefeitura de Diadema e vereador Manoel Eduardo Marinho, o Maninho (PT), participou da “Caminhada da Saúde”, que reuniu mais de 300 militantes do PT e percorreu as ruas da região do Campanário, na tarde de ontem (27). Também participaram do ato o ex-prefeito José de Filippi Júnior (PT) e a postulante a vice-prefeita Irene dos Santos (PT), além de representantes da chapa petista para eleição à Câmara.

O ato teve como ponto de partida na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Paineiras, onde ao lado também estava anexada uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), inaugurada em 2011 pelo ex-prefeito Mário Reali (PT), mas desativada pelo atual prefeito Lauro Michels (PV). A caminhada terminou no prédio onde abrigará a UBS Campanário, do Jardim Amália, em obras há cinco anos.

No carro de som, Maninho disparou contra Lauro e o ex-secretário da Saúde (2013-2016) e vereador José Augusto da Silva Ramos (PSDB) pela gestão no setor. “Esse prefeito nasceu em ‘berço de ouro’, por isso nunca utilizou um leito público. Porque somente assim para fechar UBSs, fechar leitos no Hospital Municipal, fechar a UPA e perder mais de 100 médicos na cidade. Vamos reabrir a UPA Paineiras, funcionando 24 horas, com médicos e pediatria”, assegurou.

A UPA Paineiras teve recursos de R$ 2 milhões do governo federal para construção, sendo R$ 1,5 milhão destinado às obras e R$ 500 mil para compra de equipamentos. Desde então, a Prefeitura de Diadema recebia repasses mensais de R$ 175 mil do Ministério da Saúde pela manutenção da unidade. No entanto, em decorrência da saída de aproximadamente 100 médicos nos primeiros meses da gestão Lauro, o posto deixou de funcionar 24 horas e passou a operar até as 19h.

Dessa forma, Diadema deixou de receber os repasses da União em 2014, por descumprir o artigo 2 da portaria 1.601, do Ministério da Saúde, o qual determina a obrigatoriedade de funcionamento em período integral das UPAs. Em seguida, Lauro transformou o posto em PA (Pronto Atendimento), cujo horário de funcionamento é das 7h às 19h.

Obras e creches

Irene criticou o fechamento de UBSs para obras, citando como exemplos das unidades no Jardim Promissão e no Bairro Serraria. A petista também fez alusão à redução dos horários das creches municipais, que com Lauro passou das 7h às 17h para 8h às 15h45. “As mulheres são as que mais sofrem com a política do atual prefeito na Saúde e na Educação. Onde se viu fechar UBS para reformas? Você pode reformar UBS, mas não fechá-la. Alguém deixa de morar na sua casa para reformar? Saúde não tem que esperar reformas”, disse.

No prédio onde futuramente abrigará a UBS Campanário, do Complexo Epiceia, os manifestantes fizeram abraço simbólico no equipamento. Devido à morosidade das obras, o local chegou a ser ponto de encontro entre usuários de drogas, que invadiram até 2015 o esqueleto de concreto, o qual se tornou o espaço. As obras, porém, foram aceleradas neste ano.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*