Diadema, Política-ABC, Sua região

Maninho propõe construir mais UBSs e UPA

“Temos consciência do nosso papel, daquilo que fizemos e podemos continuar fazendo”. Foto: Eberly Laurindo

Em entrevista ao Diário Regional, o vereador e candidato do PT a prefeito de Diadema, Manoel Eduardo Marinho, o Maninho, atacou duramente a atual gestão e destacou, entre seus principais projetos a construção de duas novas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). O petista garantiu, também, que em um futuro governo vai retomar a gestão democrática e participativa que marcou as gestões petistas no município.

Cite os projetos de sua plataforma para Saúde, Educação, Saúde; Geração de emprego e renda; Meio Ambiente e sustentabilidade; Transporte e mobilidade urbana e Habitação.

Na saúde vamos recuperar a saúde que já tivemos no passado. Primeiro vamos reabrir imediatamente a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Paineira. Com médico, tratamento humanizado, equipando e devolvendo-a para o povo que vem sofrendo com o fechamento dessa unidade. Construir a UPA Piraporinha que foi desativada de forma irresponsável. mesmo o ministério passando R$ 950 mil, aquela unidade não foi construída, então nos vamos construir. Vamos construir uma UBS (Unidade Básica de Saúde) no Paulínia, que é uma reivindicação daquela população, e resgatar uma UBS no Sítio Joaninha, que está incorporada no PAC Manancial, do governo Lula.

Vamos remodelar o Hospital Municipal, porque com a construção da UPA atrás, pode ser um hospital de especialidades. Sem o pronto atendimento, vai ser muito mais para ter, por exemplo, o retorno da UTI infantil, que foi tirada neste governo. O (ex-prefeito) Mário Reali transferiu da UBS Nações para o HM e o prefeito fechou. Vamos reabrir a pediatria, humanizando o tratamento. A partir do momento que tem a UPA, o hospital vai trabalhar em modelo especializado, com especialidades e o pronto atendimento fica sendo feito na UPA, praticamente incorporado no mesmo prédio.

Na educação tem essa questão do modelo Sesi que é uma grande farsa. Porque todos nós gostaríamos que nossos filhos estudassem no Sesi, mas no Sesi, e não tivessem uma cartilha com carimbo Sesi. É diferente. Hoje chove dentro das escolas. Vamos melhorar, reestruturar nossa rede municipal. Não vamos ampliar a rede agora. Vamos estancar a municipalização, mas fazer manutenção e dar dignidade para aquelas que existem.

Nas creches, vamos voltar ao período integral, que o prefeito cortou. Não dá para uma mãe trabalhadora ter o filho das 8h às 15h45 na creche, isso é irreal. É irresponsabilidade. O prefeito fala que é culpa da LDB (Lei de Diretrizes e Bases). Porém, a LDB não proíbe que amplie. Vamos contratar profissionais, garantir a manutenção das propostas da LDB, mas vamos estender, a partir das 7 horas, e a partir das 6h30 ter alguém que acolhe e a partir das 17h30 para devolver para a mãe. O uniforme, não pode chegar no final do ano. O orçamento para compra é aprovado no ano anterior. Estamos vendo ele dizendo que vai entregar em setembro, outubro, mas nem acredito que vai entregar.

Sobre geração de emprego e renda, nossa Central de Trabalho e Renda vamos reabrir, descentralizar cursos profissionalizantes. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico precisa ter vida, hoje está morta. Qual é a ação nestes três anos e meio de governo que a secretaria trouxe para a cidade? Num momento de desemprego estrutural, por culpa de uma política internacional (…) mas o município pode fazer alguma coisa, criar oportunidade. Temos aqui hoje o setor químico, indústria química que hoje é o setor mais forte na cidade. Precisamos montar um polo para discutir setor químico, o que podemos trazer de fortalecimento desse setor para gerar emprego e renda. Vamos rediscutir o setor de metalurgia, que está em decadência por causa da modernização, por toda uma crise internacional.

Temos o polo de cosméticos, mas tem que ter feira permanente. Precisa ter vida para atrair as pessoas. Fortalecer a economia solidária. Precisa ter uma gestão forte, apoio com parcerias com governos federal e do Estado. A gente vê hoje os catadores sofrendo com falta de poio do governo municipal. Vamos buscar essas opções e trazer como atrativo real.

Em meio ambiente e sustentabilidade, vamos retomar o projeto Pé na Rua, para estimular as pessoas a dar o destino correto para entulhos e bagulhos. Tem um projeto do Mário (Reali), que abre a possibilidade de ter uma caçamba menor, para facilitar a vida da população. Para que as pessoas vão colocando o entulho, o bagulho, não apenas no dia do Pé na Rua. Vamos viabilizar todos os meios para o cidadão não deixar a cidade suja. Coleta seletiva, vamos montar um sistema porta a porta, fortalecer as co­operativas de catadores.

Combate duro a questão da degradação do meio ambiente. Vamos cuidar dos parques, que estão largados. A prefeitura colocou um portal de entrada, mas lá dentro é uma vergonha, o Parque dos Jesuítas é uma mata selvagem. Vamos pegar e transformar em um parque para ajuventude. O Parque Ecológico, vamos fazer as pessoas terem vontade de frequentar. Vamos revitalizar a Praça da Moça, construir um banheiro público.

A feira noturna, a feira gastronômica, tem coisa que é política de estado, não é de partido. Tudo que for viável, que for bom, vamos manter. Vamos governar discutindo com o povo, é o povo que vai decidir.

Em mobilidade urbana, o prefeito perdeu o prazo para aprovar o Plano Municipal de Mobilidade Urbana, não aprovou recurso, em três anos o prefeito não apresentou. Vamos fazer reestudo da cidade, mobilidade urbana ampla e irrestrita, não só para os carros, mas para os pedestres. Vamos viabilizar um plano para o governo federal e buscar investimentos. No transporte coletivo vamos também mudar. Aumentar o tempo do cartão do ônibus para poder pegar mais de um sem pagar, ou implementar um cartão dia, como em São Paulo, além de universalizar a integração entre as linhas, sem essa restrição que existe hoje.

No Eldorado, vamos cobrir o espaço onde tem as paradas dos ônibuse vamos fazer uma estação de transferência. Isso não vai impactar ambientalmente, porque já tem a obra, não vai mudar nada. Vamos mudar os ônibus também, colocar com piso baixo e tentar colocar cobrador nos ônibus maiores. Outra coisa, o bilhete do idoso, que tem que valer para todos a partir dos 60, e não 65 ou 60 com baixa renda.

Por fim, este governo não fez nada em habitação. Todas as unidades entregues foram projetos da gestão passada, iniciadas no governo Mario Reali em parceria com as associações. É injusto não falar da participação delas. Vamos aumentar as áreas grafadas para interesse social. Temos tantos galpões vazios. Muitas empresas devem para a prefeitura. Por que não fazer um acordo, destinar essas áreas para habitação de interesse social? São 30 mil, 35 mil famílias sem casa na cidade.

O PT perdeu a prefeitura após 30 anos de gestões consecutivas. Qual o argumento para que a população permita seu retorno, em um momento de tanto desgaste do partido em âmbito nacional?

O desgaste não é do PT, não considero isso. É claro que a grande mídia ataca o PT, mas o desgaste do modelo de financiamento de todas as campanhas políticas é de todos os partidos, não é do PT. Agora, alguns setores só enxergam o PT, porque é uma legenda classista. Que se opõe aos interesses do grande capital. Muitos desses jornais e das grandes redes de rádio e TV fazem o jogo do grande capital e batem o tempo inteiro no PT. Porém, temos consciência do nosso papel, daquilo que fizemos e podemos continuar fazendo e não tenho nenhuma dúvida que o povo vai avaliar a nossa capacidade de execução, porque temos grandes quadros técnicos. 98% dessa cidade foi construída no governo do PT. Vamos trazer de volta o orçamento participativo real, governo democrático, não acredito em governo que não discute com o povo.

Como o partido tem lidado com a questão de recursos, uma vez que foram proibidas doações de pessoa jurídica?

Esse é um problema sério. Creio que das campanhas, dos candidatos que estão um pouco a frente na pesquisa, a nossa é a mais humilde. Uma dificuldade enorme, não temos militantes remunerados, todos são voluntários. Estamos carregando a bandeira porque queremos resgatar a dignidade da classe trabalhadora. Não queremos estar atrelados a grandes interesses econômicos, queremos discurso de independência. Vamos defender a justiça social.

Qual avaliação o partido/candidato faz dessa campanha mais curta, a primeira depois da minirreforma política aprovada no Congresso?

A campanha mais curta trouxe preocupações. No modelo anterior tínhamos planejamento a longo prazo. Quem tem recurso chegou mais rápido ao eleitor, com carro de som, com material. Porém, ao final, creio que o povo vai entender. Vai valorizar nossa campanha e nossa vitória. Vamos superar essa diferença de apoio econômico com muita garra e muita luta, como já fizemos antes

O atual prefeito fala muito em dificuldades financeiras. Como o sr. pretende equalizar a questão dos recursos caso seja eleito, para realizar todos esses projetos que está apresentando?

As propostas que estamos apresentando não são fictícias. Não estou prometendo metrô como prometeram há quatro anos, creche noturna, viaduto. Tudo que estou colocando no papel é possível. Agora, o prefeito precisa ter a responsabilidade, inclusive, de não informar a sociedade de forma irresponsável. Quanto sobra do orçamento municipal para investimento da cidade? Termos R$ 1 bilhão e pouco, tira 68% de folha de pagamento, tira o que é carimbado para saúde e educação. Que história é essa que você pegou R$ 300 milhões em três anos e meio e pagou R$ 2,5 bilhões? Gente, será que acha que alguém acredita que ele pagou R$2,5 bilhões E que tinha uma dívida de R$2,5 bilhões? O Mário fechou o ano de 2012 com 9,23% do orçamento como superávit. Tem dívida, como a gente tem na casa da gente, quando compro uma TV, um carro. Uma dívida, mas uma dívida planejada. O que ele criou foi uma grande fantasia, para justificar uma gestão muito ruim. Sobra para investimento em torno de R$ 80 milhões ao ano. Se tem esse valor, e aí deu em torno de R$ 300 milhões e pouco, como recebeu isso em três anos e pagou R$ 2,5bilhões? Precisa voltar para escola.

Existe alguma ideia de posicionamento para um provável segundo turno, caso você não esteja entre os candidatos que vão disputar?

Primeiro, não tenho nenhuma dúvida que vamos para o segundo turno. Temos confiança total. Nós vamos para o segundo turno. Agora, não indo, tenho uma certeza absoluta, sem nem debater e discutir com o PT, porque nossas decisões são coletivas, mas uma certeza eu posso afirmar, Lauro nunca mais. Se houver, mas não acredito, vamos discutir outra possibilidade que não o Lauro. Nenhuma possiblidade de apoiar um governo que se apoiou em governos golpistas. Que usou máscara do japonês da federal no Carnaval. Espero que esteja usando a tornozeleira eletrônica também.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*