Brasil, Editorias, Notícias

Lula ironiza delação rejeitada de ex-diretor da Odebrecht

Lula comparou ações da Lava Jato a esquete de grupo humorístico. Foto: Roberto Parizotti/CUT

A assessoria do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou, ontem (11), uma nota em que compara os métodos adotados por integrantes da Operação Lava Jato a um esquete do grupo humorístico “Porta dos Fundos”. Citando reportagem publicada pela Folha de S.Paulo ontem, a nota afirma que, “mais uma vez, procuradores da força-tarefa tentam forçar delações para incriminar Lula a qualquer custo”.

A nota faz referência a reportagem que trata de uma proposta de acordo de colaboração com o ex-diretor da Odebrecht Alexandrino Alencar, um dos executivos da empreiteira mais próximos do ex-presidente. Procuradores da Lava Jato e da Procuradoria-Geral da República rejeitaram a delação de Alencar por considerar haver indícios de que o ex-diretor escondia informações para proteger o petista.

No esquete, publicado no YouTube em abril deste ano, um policial federal demonstra indiferença quando um delator relata em um depoimento detalhes de casos de corrupção envolvendo políticos do PSDB. Porém,, ao ouvir que foi servido “arroz de lula” em um jantar, muda de comportamento e diz: “Avisa lá para o juiz que a gente pegou o Lula”.

Palestras

Um dos pontos que incomodaram os procuradores foi o fato de Alencar insistir que Lula, de fato, fez as palestras pagas pela Odebrecht. Para os investigadores, parte delas não foi realizada e há indícios de casos de superfaturamento. Segundo a nota, os investigadores estão pressionando Alencar “a dizer que as palestras do ex-presidente teriam sido fictícias, quando todas as palestras aconteceram”.

“A acusação feita (pela reportagem) aos procuradores é grave, séria e precisa ser apurada”, diz a nota. A defesa pede que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, tome “providências legais” a respeito.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*