Editorias, Notícias, Política

Lula diz ser vítima de ‘quase um massacre’ da Operação Lava Jato

Lula depôs ontem na Justiça Federal, em Brasília. Foto:  Marcelo Camargo/Agência BrasilO ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se preparou longamente para aquele que seria seu primeiro interrogatório como réu em um processo aberto desde o início da Lava Jato. Mas, quando entrou na sala de audiência da 10ª Vara Federal de Brasília, às 10h11 desta terça-feira (14), parecia bastante nervoso.

Vestindo terno escuro, camisa lilás e sua habitual gravata com cores da bandeira do Brasil, Lula cofiava o bigode com o dedo indicador direito. Quem o conhece interpreta o gesto como sinal de nervosismo.

Ao longo do depoimento, deu pequenos socos na mesa, colocou o dedo em riste e ficou com a voz embargada e os olhos marejados.

Lula negou ao juiz federal Ricardo Augusto Soares Leite, responsável por conduzir o interrogatório, a acusação de que foi mandante de arranjo para “evitar, modular ou retardar” o acordo de delação premiada do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró com a Lava Jato.
No início dos 48 minutos do depoimento, Lula fez um desabafo e disse que é vítima “quase que de um massacre”.

“Você sabe o que é levantar todo dia achando que a imprensa está na porta de casa porque vou ser preso? É porque não sei quem delatou, ‘o Lula vai ser preso’. Duvido [entre] os [acusados] que estão presos e os que vão ser presos, que tenha um empresário, um político que tenha coragem de dizer que um dia me deu R$ 10, que tenha coragem de dizer que ‘um dia o Lula pediu’ cinco centavos para ele”, disse o petista.

A suposta participação de Lula no esquema foi relatada pelo ex-senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS) em acordo de colaboração com o Ministério Público Federal. Segundo Delcídio, Lula estava preocupado com uma possível delação de Cerveró, que poderia implicar José Carlos Bumlai, amigo do petista.

“Só tem um brasileiro que podia ter medo de um depoimento do Cerveró, pela relação que tinha com ele, que é o Delcídio. […] Ele contou inverdade nesse processo.”

Questionado sobre supostas conversas que poderiam ter o objetivo de influenciar as investigações, Lula disse: “Da Lava Jato falamos no café, no almoço, no jantar e depois da novela, mas não se tocou no nome do Cerveró”.

Indagado sobre o motivo de Delcídio dizer uma suposta mentira, Lula afirmou que pode ter sido por tê-lo chamado de “imbecil” quando veio à tona a gravação em que o ex-senador disse que procuraria ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) para tentar soltar Nestor Cerveró.
S

egundo Lula, há na Lava Jato uma “perseguição” contra ele e alguém “instigando” que delatores falem seu nome.

No início da audiência, o petista foi questionado sobre perguntas padrão para réus.
Sobre sua renda líquida mensal, disse receber aposentadoria no valor de “uns R$ 6.000”, mais rendimentos de uma empresa da família.

“Pode colocar R$ 50 mil, mas estou chutando”.

O ex-presidente exaltou ainda os feitos de seu governo. “Quando eu deixei a Presidência, eu tinha sido quase que o presidente mais importante do mundo nos dez primeiros anos do século 21.”

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*