Economia, Notícias

Locação de galpões em condomínios logísticos cresceu 158% no ABC em 2019

Locação de galpões em condomínios logísticos cresceu 158% no ABC em 2019
O Business Park Diadema tem 100% dos galpões locados. Foto: Divulgação

A melhora, ainda que len­ta, da atividade econômica tem fa­vorecido o mercado de con­do­­mí­nios logísticos de al­to padrão no ABC. Em 2019, novas lo­ca­­ções de gal­pões si­tuados nes­­­ses empre­en­di­men­­to­s so­ma­ram 53,3 mil me­­­tros quadra­dos, aumento de 158% em rela­ção ao alugado no ano anterior (20,7 mil m²).

Os dados integram estu­do realizado pela Colliers In­ternational Brasil e refe­rem-se à absorção líquida, ou seja, ao total de novas locações me­nos o total de devoluções.

O ABC superou, inclusive, o resultado do Estado de São Paulo, que registrou avanço de 60% no saldo de locações (para 1,3 mi­lhão de metros qua­drados) no mesmo período.

“O mercado de condomí­nios logísticos foi bastante im­pactado pela crise, mas em 2019 re­gistrou recuperação ex­pressiva, que não se limitou ao ABC e foi puxada pelo aumento do consumo, principalmente na área de comércio eletrônico”, explicou Eduardo Gabriel, diretor nacional de Lo­gística da Colliers Brasil.

Na região metropolitana de São Paulo, o e-commerce tem sido responsável por 30% das novas locações – movimento desencadeado pe­lo aumento da demanda por galpões para a instalação de centros de distribuição, especialmente nos ar­redores das grandes capitais. Outras atividades que têm pu­xado os aluguéis são a indústria e o transporte logístico.

Ainda segundo o estu­do, o ABC ganhou 55 mil me­tros quadrados de galpões em 2019, o que elevou o esto­que da região para 380 mil me­tros quadrados, dos quais 333 mil estavam alugados no final do ano passado.

Com isso, a taxa de vacância nos condomínios do ABC encerrou 2019 em 12,4%, inferior à apura­da no final do ano anterior (14,1%). Apesar da redução da ociosidade, o aluguel médio pedido praticamente não subiu e, segundo o estudo, passou de R$ 23 o metro quadrado em 2018 para R$ 24 no ano passado.

BUROCRACIA

Com o objetivo de aumentar sua participação nesse mercado, a construtora MBigucci espera a aprovação, pela Prefei­tura de Santo André, de projeto pa­ra erguer condomínio lo­gís­tico em área de 110 mil me­tros quadrados na avenida dos Es­tados, no bairro Capuava.

Batizado Business Park San­to André, o empreendimen­to terá 50 galpões modulares que podem variar entre 1.200 m² e 25 mil metros quadrados. “A previsão era de apro­var o projeto no final de 2018 e lançá-lo no início do ano seguinte, mas tivemos problemas. Agora acredito que, no mais tardar em março, esteja apro­vado na prefeitura”, disse o diretor Milton Bigucci Junior, que também preside a Associação de Cons­trutores, Imobiliárias e Admi­nistradoras do ABC (ACIG­ABC).

Atualmente, a construtora tem dois condomínios logísticos no ABC: um em Dia­dema, inaugurado em 2012, e outro em São Bernardo, aberto em 2018. Ambos têm 100% de ocupação. “Em Diadema, nunca fiquei com galpão ocioso mais de dois meses. Em São Bernardo, depois que chegou aos 100%, não perdi nenhum locador”, disse Bigucci Junior.

O diretor lembrou que a oferta de condomínios logísticos ainda é pequena no ABC. Segundo o estudo da Colliers In­ternational Brasil, a região responde por apenas 4,1% do estoque total de empreendimentos do setor no Estado de São Paulo, contra 10,5% em Ba­­rueri, 15,2% em Cajamar, 14,5% em Guarulhos e 8% em Em­bu, só para citar alguns municípios da Grande São Paulo com forte vocação logística.

Bigucci Junior destacou, po­rém, que a participação da região deve aumentar no médio prazo. “O ABC sempre foi muito tímido na oferta de galpões em condo­mínios, que é maior em Barueri, Cajamar, entre outros municípios. Os grandes players percebe­ram isso e começaram a inves­tir na região, mas ainda há muita demanda não atendida.”

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*