Editorias, Notícias, Veículos

Linha 2022 do Captur evolui esteticamente e incorpora o inédito motor 1.3 turbo

Linha 2022 do Captur evolui esteticamente e incorpora o inédito motor 1.3 turbo
Reestilização do Captur compreende, na dianteira, novos para-choque e grade frontal, enquanto a lateral chama a atenção pelas linhas fluidas e a traseira traz LEDs na identidade visual das lanternas. Foto: Divulgação/Renault

DANIEL DIAS
AutoMotrix

Um dos automóveis de passeio mais estilosos do mercado brasileiro, o Captur foi apresentado mundialmente no Salão de Genebra de 2011 e lançado no Brasil seis anos depois. Logo de cara, o SUV compacto virou o “bonitão” das vitrines das concessionárias Renault. No entanto, nunca teve desempenho de vendas compatível com seu prestígio estético. Neste ano, por exemplo, o Captur teve 3.490 unidades emplacadas no semestre, com média de pouco mais de 580 mensais. Justamente para tentar crescer no mercado brasileiro, o Captur foi apresentado na linha 2022 com design externo renovado e um inédito motor na marca fran­cesa, o 1.3 turboflex TCe (do inglês, Turbo Control Effiency).

Produzido no complexo in­dustrial Ayr­­ton Senna, em São José dos Pinhais (PR), o novo Captur chega em três versões de acabamento: a Zen, com preço de R$ 124.490; a Intense, por R$ 129.490, e a top de linha Iconic, oferecida por R$ 138.490, todas com o mesmo conjunto motor-câmbio.

O Captur 2022 atualiza as definições de design que o consagraram no Brasil e no mundo. O novo para-choque dianteiro está mais envolvente e traz novos elementos tecnológicos, co­­mo a luz de circulação diurna DRL em LEDs, que emoldura os faróis de neblina, com função auxiliar em curvas. Os faróis principais passam a ser full-LED na versão top de linha, com até 75% de melhoria visual. A grade superior está mais larga e ga­nhou detalhe cromado. O SUV adiciona novo ski dianteiro com entrada de ar. As rodas de 17 polegadas também são novas.

Nas laterais, há grafismo cromado na parte inferior das portas, acompanhando a linha de cintura elevada. O SUV chama atenção ainda pelas linhas fluidas, pelos lados esculpidos e pelos “músculos” formados pela carroceria acima dos para-lamas traseiros.

A parte de trás tem LEDs na identidade visual das lanternas, ponteira do escapamento cromada e o nome “Captur” passa a ter a mesma cor da carroceria. A sigla “TCe” está afixada na tampa do porta-malas. A pintura em biton oferece originalidade e personalização. São oito combinações de cores, sendo seis em biton. O teto pode ser preto ou prata. A carroceria ganhou duas novas cores: Bronze Sable e Azul Iron, somando-se ao Branco Gla­cier, ao Vermelho Fogo, à Pra­ta Etoile e à Cinza Cassiopée.

O interior foi completamen­te renovado. A versão top recebeu a opção biton dentro da ca­bine com a combinação da cor Marrom Castanyera. O aca­bamento mistura detalhes em black piano com cromados, como ao redor do sistema multimídia e nas saídas de ar. Para facilitar a vida a bordo, a nova central multimídia com tela de oito polegadas está mais rápida e intuitiva, com espelhamento de smartphones para Apple CarPlay e Android Auto, Bluetooth e sistema Multi­view, com quatro câmeras.

A direção é elétrica e o novo volante tem ajustes de altura e profundida­de, com comandos iluminados do piloto automático (regulador e limitador de velocidade) e do comando de voz. A Iconic traz como opcional o sistema de som premium Bose, com seis alto-falantes, subwoofer no porta-malas e amplificador digital exclusivo.

Para oferecer mais conforto ao motorista, o apoio de braço está integrado ao console, que foi todo redesenhado e ganhou novos porta-copos. Os passageiros do banco de trás passam a ter duas saídas USB para facilitar o carregamento de dispositivos eletrônicos. O Captur traz novos itens de tecnologia e segurança, como a partida do motor a distância com a chave hands free, que permite climatizar o interior antes mesmo da entrada no veículo; e o sensor de ponto cego nos retrovisores, indicando a presença de motocicleta ou de um carro fora do campo de visão do motorista. O Captur acomoda cinco pessoas, graças aos 4,38 metros de comprimento e aos 2,67 m de distância de entre-eixos, as maiores dimensões entre os SUVs compactos com motores turbo do mercado brasileiro. O porta-malas tem capacidade para 437 litros, a maior da categoria.

No quesito segurança, o Cap­tur 2022 tem ainda alerta de pressão dos pneus (que avisa o condutor por meio de luz no painel quando a calibragem está baixa), controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, quatro airbags (sendo dois dianteiros, com opção de desativação do lado do passa­geiro, e dois laterais redese­nha­dos). Há dois pontos Isofix nos bancos traseiros para a fixação de cadeirinhas infantis.

A alma do negócio

A principal atração do Captur 2022 é o novo motor 1.3 16V turboflex TCe desenvolvi­do com o know-how da Alian­ça Re­nault-Nissan-Mitsubishi em parceria com a Daimler. O pro­pulsor agrega tecnologias que a Renault desenvolveu nas pis­tas da Fórmula-1, nas quais acumulou 12 títulos mundiais co­mo equipe própria ou como fornecedora de motores.

Produzido na Espanha, é um motor global, que equi­pa modelos da alta gama em vár­ios mercados. Toda a parte bicombustível ficou a cargo da equipe de engenheiros do Renault Tecnologia Américas (RTA), que fica no Complexo Ayrton Senna, no Paraná. Traz injeção direta central com 250 bar de pressão, turbocompressor com válvula wastegate eletrônica e duplo comando de válvulas variável com atuadores elétricos.

O novo motor desenvolve 162 cavalos de potência com gasolina e 170 cv com etanol, ambos de 5.500 a 6 mil rotações por minuto, com torque de 27,5 kgfm, com os dois combustíveis, entre 1.660 e 3.750 giros – uma das suas principais características é o alto torque em baixas rotações. Está asso­ciado ao câmbio automático tipo CVT, com oito marchas si­muladas. Segundo a Renault, o novo Captur acelera de zero a 100 km/h em 9,5 segundos com gasolina e em 9,2 segundos com etanol, podendo chegar à máxima de 190 km/h com os dois combustíveis. Para o Inmetro, o SUV tem médias urbanas de 11,1 km/l (gasolina) e de 7,5 km/l (etanol) e rodoviárias de 12 km/l e de 8,3 km/l, res­pectivamente, recebendo nota C no geral e A no segmento.

O propulsor do Captur 2022 se caracteriza pelo turbo que trabalha com pressão máxima de 1.4 bar, pelo cabeçote em forma de delta, pelo comando de válvulas com duplo eixo, pelo tratamento DLC (Diamond-Light Carbon) com tecnologia da F-1, pelas bronzinas de po­límeros metálicos, pela injeção direta de combustível, pelos ci­lindros com BSC (Bore Spray Coa­ting) – o bloco de alumínio tem tratamento superficial inovador na parede dos cilindros – e pela sonda lamba proporcional, que analisa qualitativamente os gases, permitindo controle mais preciso da qualidade da combustão. Outra tecnologia aplicada para a redução do consumo é o sistema Start&Stop, que desliga o motor automati­camente em semáforos ou ou­tras paradas prolongadas.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*