Economia, Notícias

Justiça atende a pedido do sindicato e decreta falência da Karmann-Ghia

A Justiça decretou ontem (23) a falência da indústria de autopeças Karmann-Ghia. A decisão do juiz Gustavo Dall’Olio, da 8ª Vara Cível de São Bernardo, julgou procedente o pedido ajuizado pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC no dia 28 de junho, devido ao abandono da fábrica pela direção da empresa, após longo período sem cumprir suas obrigações trabalhistas.

A medida foi tomada pelo sindicato com o objetivo de preservar algum patrimônio, a fim de usá-lo para o pagamento dos trabalhadores.

Na sentença, Dall’Olio re­conhece a gravidade da situação da empresa e diz que a falência é a “única medida cabível, considerando o crítico estado econômico-financeiro, levado a cabo por gestores e controladores cujos atos e condutas serão criteriosa e oportunamente avaliados”.

“Ao longo de mais de um ano lutamos para preservar a empresa e os postos de trabalho. Firmamos vários acordos para parcelamento de dívidas e todos foram descumpridos. A situação estava insustentável, com os companheiros sem receber salários desde dezembro de 2015 e sem condições de trabalhar. Até a energia elétrica tinha sido cortada por falta de pagamento”, afirmou Carlos Caramelo, diretor do sindicato.

A partir de agora, com a falência decretada, os antigos administradores são retirados do comando da empresa e um novo administrador nomeado pela Justiça vai gerir o processo de recuperação judicial.

O presidente do sindicato, Rafael Marques, destacou que a entidade terá papel importante na nova etapa. “É um processo longo, mas os créditos trabalhistas passam a ter prioridade. Nosso jurídico vai acompanhar de perto a recuperação. Vamos reivindicar os bens dos sócios da empresa para garantir que o trabalhador consiga receber o que é de direito”, disse.

Marques lembrou que a falência não é o fim do processo. “As ações de solidariedade aos companheiros vão continuar.” Ao todo, segundo o sindicato, 600 trabalhadores foram prejudicados – entre empregados que não recebiam seus salários e demitidos que não tiveram suas rescisões pagas.

Hoje (24), o sindicato realiza assembleia com os trabalhadores a partir das 8h.

Dificuldades começaram em 2013

Fundada em 1960, a Karmann-Ghia ficou famosa pelo cupê produzido em parceria com a Volkswagen. Também saíram da fábrica situada às margens da Via Anchieta os icônicos SP1 e SP2 e o Ford Escort XR3. O último foi o Land Rover Defender, de 1998 a 2006. Desde então só fazia autopeças.

A empresa enfrenta dificuldades desde 2013, quando a VW, então responsável por grande parte de seu faturamento, anunciou o fim das linhas de produção da Kombi e do Gol G4, para as quais fabricava estampados.

Em 2015, sob o comando do Grupo Nardini, a empresa voltou a sofrer com a queda de encomendas, pois a Fiat, que representava 70% dos negócios, reduziu drasticamente a produção devido à crise.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*