Esportes, Futebol

Jornalistas novatos e experientes estavam em avião que caiu

Pascovicci é um dos seis profissionais da Fox Sports mortos. Foto: Reprodução FacebookDos 20 profissionais de imprensa mortos na tragédia aérea, metade tinha menos de 35 anos e estava no início ou meio de carreira. A outra metade era formada por jornalistas com carreiras consolidadas.

Os grupos de comunicação Fox Sports, RBS e Globo foram os que mais perderam profissionais.

O mais jovem do grupo era Bruno Mauri da Silva, 25, de Palhoça (SC), que trabalhava como técnico de externas na RBS há quatro anos.

Os mais velhos eram todos da Fox Sports: o ex-jogador e comentarista Mário Sérgio, 66, o narrador Deva Pascovicci, 51, e o repórter Paulo Júlio Clement, 51.

Dos jovens que estavam no avião, o repórter André Podiacki, 26, celebrava há uma semana a vida com o nascimento da sobrinha Antônia, de quem foi escolhido padrinho. Ele trabalhava havia quase seis anos no “Diário Catarinense”.

Como comentarista, Mário Sérgio se notabilizou pela polêmica. Foto: Reprodução FacebookProfessor universitário e repórter do globoesporte.com em Santa Catarina, Laion Espíndula, 29, era um entusiasta das plataformas on-line do jornalismo e estava empolgado em poder acompanhar a final da Copa Sul-Americana.
Entre as vítimas, há sete radialistas locais de Chapecó – só um sobreviveu.

“Eram muito conhecidos aqui na cidade. São muitos anos de contato próximo com a população. Vamos ter de reconstruir não só o time, mas todo o jornalismo esportivo aqui em Chapecó”, disse Ivan Carlos Agnoletto, diretor esportivo da rádio Super Condá.
Agnoletto está na lista de passageiros, mas cedeu no sábado seu lugar a outro narrador, Gelson Galiotto, 41, chapecoense fanático.

Entidades

A Associação Brasileira de Imprensa manifestou “profundo sentimento de pesar” pelas mortes. Marcelo Rech, vice-presidente da RBS e presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ) disse que “a cobertura de uma final internacional é pauta reservada a poucos”, e que “os colegas que morreram na Colômbia eram exemplos dessa estirpe”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*