Diadema, Sua região

Joeder Souza: ‘o cenário atual não permite mais amadorismo e vaidades’

Souza: “se é para falar que está sem dinheiro, então, não precisa de cargo”. Foto: Arquivo pessoal
Souza: “se é para falar que está sem dinheiro, então, não precisa de cargo”. Foto: Arquivo pessoal

O ex-diretor presidente da  Fundação Florestan Fernandes, em Diadema, Joeder Souza (PRTB), em entrevista ao Diário Regional, afirmou que por sua experiência à frente da entidade, entende que falta parceria entre os poderes Legislativo e Executivo na implementação de políticas públicas.

“O vereador tem de ser parceiro do governo. Porém, vi que muitos não têm essa visão. Cuidam apenas do mandato deles e acabam esquecendo que o próprio mandato faz parte de uma política pública. Geralmente votam em projetos que entendem que sejam bons, ou que o prefeito entende que seja bom, mas não procuram saber a realidade da população. Por exemplo, fiquei anos na Fundação e não tive  uma visita sequer de um vereador para discutir política pública ou sobre como profissionalizar a população.”

Outro ponto que destacou é a falha, por parte dos parlamentares, na fiscalização e na busca por recursos. Segundo Souza, o vereador não pode chegar em uma secretaria apenas quando tem uma demanda pessoal. “Quando se atua realmente na fiscalização, automaticamente você obriga os setores a trabalharem mais corretamente.”

No entendimento do pré-candidato a vereador pelo PRTB, os parlamentares têm de se prontificar a ajudar, seja tecnicamente ou politicamente. “Esse apoio pode ser na busca de uma emenda parlamentar,
porque, muitas vezes o partido do vereador tem representação no Estado ou até no governo federal”, pontuou.

ELEIÇÕES

Segundo Souza, com a aproximação das eleições, a população tem de analisar o passado dos candidatos, inclusive em relação à possibilidade de candidatos enquadrados na Lei da Ficha da Limpa concorrem ao pleito, por conta do adiamento das eleições para novembro.

“Tem muito candidato hoje que esteve com a caneta (tomar decisões) e poderia ter feito algo para mudar (a situação) e não  fizeram. Muitos hoje estão prometendo coisas que poderiam fazer neste momento (no atual mandato). A população tem de fazer essa avaliação, porque a maior punição para um candidato ficha suja é não ser eleito”, destacou.

Um eventual mandato em período de queda na arrecadação e no pós-pandemia, segundo Souza, é preocupante, mas também desafiador. Porém, afirmou que o papel do parlamentar não “é dar desculpas”, mas sim, também apresentar políticas públicas de médio e longo prazos. “Entrar lá e ser mais um portador de desculpas, é provar incapacidade. Se é para falar que está sem dinheiro, então, não precisa estar no cargo.”

O PRTB aposta neste ano na ex-secretária do Meio Ambiente e ex-diretora do Procon  em Diadema, Denise Ventrici, na disputa pelo Paço. Para Souza, a pré-candidatura ao Executivo vai ao encontro do
momento político, não só de Diadema, como do ABC. “Não tem fórmula mágica. Os municípios estão financeiramente com deficiência. Então, será necessário um gestor que conheça a máquina pública. “A Denise é uma pessoa que sabe onde estão as demandas e onde não adianta mexer que vai perder tempo. É uma pessoa que vai gastar energia onde realmente precisa.”

Para Souza, os cenários econômico e político atuais não permitem mais amadorismo e vaidades. “A cidade precisa hoje de uma gestão que realmente comece a amenizar os problemas em médio e longo prazos. Tem de haver renovação (nos poderes). A população tem de entender que muitos dos problemas que estão ocorrendo são resultado de políticas públicas feitas não só na gestão atual, mas também nas anteriores. Se deixarmos os que estão no poder ou os antigos voltarem, nada vai mudar.”

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*