Editorias, Notícias, Política

João Doria se despede do cargo com Gandhi, choro e meta inflada

João Doria se despede do cargo  com Gandhi, choro e meta inflada
Doria transmitiu cargo de prefeito para Bruno Covas, em cerimônia discreta na sede da prefeitura. Foto: Suamy Beydoun/AGIF/Folhapress

A última reunião de João Doria (PSDB) como prefeito de São Paulo na tarde desta sexta (6) foi a portas fechadas, sem público ou jornalistas, evitando assim o desgaste por renunciar ao cargo mil dias antes do fim do mandato. Porém, no espaço reservado, o agora ex-prefeito teve performance ao seu estilo habitual, com citações a Mahatma Gandhi, vídeo com vitória de Ayrton Senna, choro, medalhas e antipetismo. Ao fim, passou o bastão para o vice, Bruno Covas (PSDB).

Diante de uma plateia de secretários, vereadores da base aliada, empresários e familiares, Doria leu trechos de um livro sobre Mahatma Gandhi que disse ter ganhado de uma eleitora um dia antes.
O tucano usou uma citação atribuída ao líder pacifista para descrever seu estilo de governar: “Melhor um ‘não’ com convicção do que um ‘sim’ dito apenas para agradar ou, pior, para evitar problemas”.

Após 15 meses de gestão, Doria deixa o cargo para concorrer ao governo do estado. Segundo a reportagem apurou com participantes da reunião, Doria foi às lágrimas mais de uma vez enquanto passava um filme com suas realizações, ao distribuir medalhas para secretários e empresários e, por fim, ao exibir vídeo com vitória árdua de Ayrton Senna no Grande

Prêmio do Brasil, em 1993, sob chuva.
Ao longo do mandato, Doria tentou colar sua imagem à de Senna

algumas vezes, usando em eventos o “tema da vitória” tocado pela TV Globo a cada vitória do piloto. Desta vez, pretendeu associar o tricampeão mundial de F-1 ao sentimento patriótico e à sua própria sanha antipetista: chacoalhou uma bandeira do Brasil e disse que “essa bandeira nunca será vermelha”.

Repetiu o que disse à Folha nesta quinta-feira (5): “Fiz mais em 15 meses do que o Haddad (seu antecessor, do PT) em quatro anos”. O ex-prefeito foi bastante aplaudido quando exaltou o PSDB, afirmando que o partido “vai deixar de ter muro”.

Entrevista
Após a troca de bastão com Bruno Covas, Doria deu rápida entrevista na qual apresentou vídeo de 12 minutos sobre seus feitos no qual tenta justificar a decisão de abandonar o cargo. O vídeo, que será divulgado nas redes sociais do tucano, faz um balanço da gestão. “Confesso: foi uma decisão muito difícil. Mas tenho que dizer aqui: é fundamental que o governo e a prefeitura estejam alinhados”, diz, no vídeo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*