Política-ABC, Santo André, Sua região

Inventário sobre gases estufa no ABC é base para ações regionais à mudança climática

O Inventário Regional sobre Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), apresentado (16) pelo Consórcio Intermunicipal do ABC, oferece subsídios para estratégia de enfrentamento à mudança climática no médio e longo prazos. O estudo reúne dados sobre emissões provenientes de fontes estacionárias (consumo de eletricidade, gás natural, gás liquefeito de petróleo e combustível fóssil para geração de energia), transportes e destinação de resíduos.

Durante a divulgação do Inventário Regional, o coordenador do Grupo de Trabalho (GT) Meio Ambiente do Consórcio, João Ricardo Guimarães Caetano, afirmou que um trabalho com esta dimensão só pôde ser concretizado devido à estrutura da entidade regional, que já acumula tradição em políticas públicas para a área ambiental. “Em um primeiro momento, enfrentar as mudanças climáticas não parece factível para uma prefeitura, diante do leque de problemas imediatos que se apresentam diariamente, mas praticamente é inevitável que as cidades precisem produzir trabalhos como este. O Inventário mostra como o ABC pode agir”, disse.

Ações

A coordenadora do Grupo Temático Mudanças Climáticas do Consórcio, Vanessa Valente, destacou o estudo como o primeiro passo de uma série de ações previstas para o Plano de Mitigação e Adaptação às Mudanças Climáticas, que vai estabelecer estratégias e políticas integradas para fortalecer o desenvolvimento climático sustentável no ABC. “Trata-se um plano operacional com metas a serem cumpridas, seguindo o compromisso assumido pelo Consórcio com o Compacto dos Prefeitos para o Enfrentamento da Mudança Climática, um grupo global para a redução de emissão de gases de efeito estufa”, explicou.

A coordenadora do GT Defesa Civil, Débora Diogo, avaliou o estudo como uma ação integrada rara em âmbito nacional e internacional. “Este é um trabalho inovador, possibilitando olhar para uma cidade do futuro. O Inventário busca a origem dos problemas e também destaca a questão da proteção à vida”, afirmou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*