Economia, Notícias

Indústria cai 1,3% em abril e fica abaixo do nível pré-pandemia

Indústria cai 1,3% em abril e fica abaixo do nível pré-covid
Queda no setor dos derivados de petróleo puxou o resultado. Foto: Andre Motta de Souza/Agência Petrobras

A produção industrial caiu 1,3% em abril na comparação com o mês anterior. Esse é o terceiro resultado negativo seguido do indicador, que acumula perda de 4,4% no período. Com isso, a produção fabril fica 1% abaixo do patamar pré-pandemia.

A queda de abril foi disseminada por 18 das 26 atividades investigadas pela Pesquisa In­dustrial Mensal (PIM) e foi impactada principalmente pela retração de 9,5% do ramo de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis.

No ano, o setor industrial acumula ganho de 10,5% e, nos últimos 12 meses, de 1,1%. Os dados foram divulgados ontem (2) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado de abril, a produção industrial está 17,6% abaixo do patamar recorde, re­gistrado em maio de 2011.

Os resultados negativos alcançaram duas das quatro grandes categorias econômicas: bens de consumo semi e não duráveis (-0,9%) e bens intermediários (-0,8%). Já os setores de bens de capital (2,9%) e de bens de consumo duráveis (1,6%) tiveram resultados positivos. Entre as oito atividades que também tiveram taxas no campo positivo, os principais impactos foram de indústrias extrativas (1,6%), máquinas e equipamentos (2,6%) e veículos automotores (1,4%).

O gerente da pesquisa, André Macedo, destacou que o es­palhamento do resultado ne­gativo entre as atividades foi o maior desde abril de 2020.

“O crescimento da pro­dução industrial já mostrava arrefecimento desde a segunda metade do ano passado. Com a entrada de 2021, o recrudescimento da pandemia e todos os efeitos da crise sanitária, o setor industrial mostrou evidente diminuição de seu ritmo de produção. Isso fica claro não só pelos resultados negativos, mas também pelo espalhamento maior desse ritmo de queda”, explicou Macedo.

O pesquisador ressalta que, com a entrada dos resultados negativos de fevereiro, março e abril, a indústria perdeu o ganho acumulado até janeiro aci­ma do patamar pré-pandemia. “Em janeiro, tínhamos saldo de 3,5% acima do patamar registrado em fevereiro de 2020. Com os resultados de fevereiro, março e abril de 2021, o setor industrial está 1% abaixo daquele patamar”, afirmou Macedo.

A atividade de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis, que mais impactou o indicador geral, também teve resultados negativos espa­lhados por seus produtos. “Há movimento de queda bastante espalhado que vai desde os derivados do petróleo até os biocombustíveis, como álcool e biodiesel”, destacou Macedo. A segunda atividade com maior impacto foi produtos alimentícios, que teve queda de 3,4% ante março. “O resultado negativo elimina o saldo positivo de 3,3% observado nos três primeiros meses do ano.”

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*