Editorias, Notícias, Política

Haddad é acusado de caixa 2 na campanha de 2012

Haddad é acusado de caixa 2 na campanha de 2012
Segundo assessoria,
defesa de Haddad não teve acesso à denúncia ainda. Foto: Arquivo

O Ministério Público Eleitoral denunciou o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) à Justiça Eleitoral sob a acusação da prática de caixa dois na campanha de 2012, em razão do recebimento por fora de recursos da empreiteira UTC, investigada na Operação Lava Jato.

Segundo o promotor da 1ª Zona Eleitoral da capital, Luiz Henrique Dal Poz, a investigação do caso teve como base inicial delações na Lava Jato, cujos indícios foram cruzados com planilhas encontradas posteriormente nas apurações da Operação Custo Brasil.

Dal Poz afirma que a denúncia demonstra a montagem de “uma estrutura paralela do PT para financiamento de campanhas em 2012, que teve Fernando Haddad como um dos beneficiários”.

O promotor diz que a denúncia não deve atrapalhar eventuais planos de Haddad de se candidatar para as eleições deste ano, pois o processo ainda deve demorar para ter sentenças em primeira e segunda instância.
Além de Haddad, foram denunciados o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, o contador da campanha de Haddad de 2012 Francisco Macena, o ex-deputado estadual petista e ex-dono de gráficas Francisco Carlos de Souza, conhecido como “Chicão”, e o empresário do setor gráfico Ronaldo Candido.

Outro lado

A assessoria do ex-prefeito informou em nota que defesa de Haddad ainda não teve acesso à denúncia, mas pode “afirmar desde logo que não há qualquer elemento que sugira que os valores tratados por Ricardo Pessoa tenham sido empregados em sua campanha”. A nota relata que “todos os interesses da UTC na cidade de São Paulo foram contrariadas pela gestão Haddad”.

A defesa afirma que Vaccari “jamais foi tesoureiro de campanha e nunca solicitou qualquer recurso para campanha de quem quer que seja”.
Segundo a defesa, Vaccari “foi tesoureiro do partido (PT) e dessa forma solicitava doações legais somente para o partido, as quais eram realizadas por depósito em conta bancária do partido, com recibo e com prestação de contas às autoridades”.

A reportagem não conseguiu localizar a defesa dos outros denunciados.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*