Brasil, Editorias, Notícias

Hacker afirma que Manuela D’Ávila intermediou contato com Greenwald

Hacker afirma que Manuela D’Ávila intermediou contato com Greenwald
Manuela: “meu aplicativo foi invadido”. Foto: Agência Brasil

A ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) confirmou nesta sexta-feira (26), em nota, que repassou o contato do jornalista Glenn Greenwald, editor do site The Intercept Brasil, a uma pessoa não identificada pelo aplicativo Telegram. Segundo a ex-parlamentar, isso ocorreu no dia 12 de maio, antes, portanto, da divulgação das primeiras mensagens atribuídas ao ex-juiz Sergio Moro e a procuradores da Lava Jato pelo site.

Manuela disse que o próprio Telegram a notificou que seu aplicativo havia sido invadido no Estado da Virginia, nos Estados Unidos. Minutos depois de ter recebido esse alerta, Manuela afirmou que uma pessoa enviou uma mensagem pelo aplicativo dizendo que era “alguém que tinha obtido provas de graves atos ilícitos praticados por autoridades brasileiras” e, ainda segundo ela, queria “divulgar o material por ele coletado para o bem do país, sem falar ou insinuar que pretendia receber pagamento ou vantagem de qualquer natureza”.

Manuela, que foi candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT), disse que pensou que estava sendo alvo de uma armadilha “montada por adversários políticos”. “Por isso, apesar de ser jornalista e por estar apta a produzir matérias com sigilo de fonte, repassei ao invasor do meu celular o contato do reconhecido e renomado jornalista investigativo Glenn Greenwald.”

A ex-deputada, que afirmou estar fora do país, disse que está à disposição das autoridades para prestar esclarecimentos. “Estou, por isso, orientando meus advogados a procederem a imediata entrega das cópias das mensagens que recebi pelo aplicativo Telegram à Polícia Federal, bem como a formalmente informarem, a quem de direito, que estou à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos sobre o ocorrido e para apresentar meu aparelho celular a exame pericial.”

DEPOIMENTO

Um dos presos sob suspeita de ter hackeado telefones celulares de autoridades, Walter Delgatti Neto, conhecido como Vermelho, disse em depoimento à Polícia Fe­deral que fez contato com Glenn Greenwald por meio da ex-deputada federal. No depoimento, Delgatti Neto detalhou o caminho para chegar aos dados das autoridades. Declarou que não editou o conteúdo das contas de Telegram a que teve acesso e que compartilhou as informações ao The Intercept de forma não remunerada.

Afirmou que conseguiu o telefone de Manuela D’ Ávila ao acessar os contatos do Telegram da ex-presidente Dilma Rousseff.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*