Copa do Brasil, Esportes

Grêmio segura 0 a 0, elimina o São Paulo e vai à 9ª final da Copa do Brasil

Grêmio segura 0 a 0, elimina o São Paulo e vai à 9ª final da Copa do Brasil
Renato Gaúcho comemora com os jogadores a classificação do Grêmio à final. Fotos: Lucas Uebel/GDBP

O Grêmio está classificado para mais uma final da Copa do Brasil. Nesta quarta-feira (30), o tricolor gaúcho segurou o São Paulo no Morumbi, empatou por 0 a 0 e se classificou para sua nona decisão, pois havia triunfado em Porto Alegre por 1 a 0. Diante do Palmeiras, buscará o sexto título para se igualar ao Cruzeiro como o maior vencedor da competição.

Foi a terceira vez que o time gaúcho enfrentou o São Paulo em 2020, sem ser vazado nelas – havia ficado no 0 a 0 no Morumbi pelo Brasileirão. O Grêmio também ampliou a invencibilidade diante do adversário para 11 jogos, com cinco vitórias e seis empates, sendo que a última derrota foi em 2013.

Muito disso foi conquistado pela consistência apresentada no Morumbi, tanto que a meta gremista praticamente não foi ameaçada pelo São Paulo. Se pouco atacou no segundo tempo, ainda teve as melhores oportunidades da primeira etapa.

Ao São Paulo, em jejum de títulos desde 2012 e sem nunca ter sido campeão da Copa do Brasil, resta o Campeonato Brasileiro para buscar uma taça nesta temporada. A possibilidade é boa, afinal, o time está na liderança e com sete pontos de vantagem para Atlético-MG e Flamengo e voltará a jogar pelo torneio em 6 de janeiro, quando visitará o Red Bull Bragantino.

O Grêmio, que já foi campeão estadual nesta temporada, disputará a decisão da Copa do Brasil nos dias 3 e 10 de fevereiro contra o Palmeiras, que eliminou o América-MG. Até lá, terá compromissos pelo Brasileirão, sendo o próximo no dia 6, quando receberá o Bahia.

O JOGO

Sem poder contar com Reinaldo, suspenso, o São Paulo ainda ficou sem Luciano, lesionado e substituído por Tchê Tchê, o que levou Diniz a apostar em uma formação parecida com a que derrotara o Atlético-MG há duas semanas, no Brasileirão. O Grêmio, sem Geromel e Maicon, teve Lucas Silva para reforçar a marcação e a presença de Alisson no setor ofensivo.

Quem mais sentiu falta das suas referências foi o São Paulo. Lento na troca de passes, era facilmente anulado pelo Grêmio, que jogava com muita segurança. Os gaúchos se fechavam bem na defesa e saíam bem quando avançava a marcação. Teve assim, boas chances para abrir o placar, com Victor Ferraz, que acertou a trave após cobrança de escanteio, e Diego Souza, que disparou uma linda bicicleta, além de uma tentativa de fora da área de Pepê.

O ritmo moroso imposto propositalmente pelo Grêmio não era quebrado pelo São Paulo, que não conseguia acelerar o jogo. Praticamente só o fez com êxito uma vez nos 45 minutos iniciais, quando uma trama que envolveu Tchê Tchê e Juanfran terminou com a finalização de Gabriel Sara. Porém, era muito pouco para quem precisava vencer no Morumbi.

O cenário não mudou no segundo tempo. O São Paulo tinha a posse de bola, mas não sabia o que fazer para abrir espaços na fechada defesa do Grêmio ou mesmo para acionar o artilheiro Brenner. Isso levou Diniz a trocar duas peças defensivas – Léo e Luan – por jogadores ofensivos, casos de Toró e Vitor Bueno pouco antes do 20º minuto.

Porém, o duelo não mudou. O São Paulo, pouco criativo e sem dribles para abrir a defesa, mal conseguia finalizar. Ainda colocou mais dois atacantes, Paulinho e Tréllez, mas não adiantou, pois o time gaúcho se fechou ainda mais, com a entrada de um terceiro zagueiro, e segurou a pressão com cruzamentos do adversário. Assim, quem avançou foi o Grêmio, mais uma vez finalista da Copa do Brasil.

SÃO PAULO 0 x 0 GRÊMIO

Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (Fifa/RJ). Cartões vermelhos: Tréllez e Fernando Diniz. Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP).

SÃO PAULO

Tiago Volpi, Juanfran, Bruno Alves (Paulinho Bóia), Arboleda e Léo (Toró); Luan (Vitor Bueno), Tchê Tchê (Hernanes), Daniel Alves, Gabriel Sara e Igor Gomes (Tréllez); Brenner Técnico: Fernando Diniz.

GRÊMIO

Vanderlei; Victor Ferraz (Ferreira), Rodrigues, Kannemann e Diogo Barbosa; Matheus Henrique, Lucas Silva e Jean Pyerre (Darlan); Alisson (Thaciano), Pepê (Everton) e Diego Souza (Paulo Miranda). Técnico: Renato Gaúcho.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*