Serviços, Turismo

Grand Tour cultural pelos lugares mais evocativos do norte e centro da Itália

Classificada em primeiro lugar do mundo em número de Patrimônios Mundiais da UNESCO, a Itália é um destino incomparável quando se trata de história e cultura. Os jovens europeus de classe alta sabiam muito bem disso quando, entre o final dos anos 1600 e 1800, se dedicaram ao “Grand Tour” das mais belas cidades da Europa: o ponto alto de sua jornada de cultura e diversão foi de fato o Bel Paese. Se formos refazer um Grand Tour cultural hoje, nossas paradas obrigatórias seriam muitas. Vamos começar com o norte e centro da Itália.

Milão


Galeria Vittorio Emanuele II, Milão
É uma cidade moderna e cosmopolita, e ao mesmo tempo rica em evidências históricas e lugares com arte: sua impressionante Catedral, o símbolo da cidade, a Basílica de Sant’Ambrogio, a Igreja de Santa Maria delle Grazie que contém a Última Ceia, a conhecida obra-prima de Leonardo Da Vinci, e os seus museus, entre os quais se destacam a Galeria de Arte Brera, o Museu do Século XX e a Pinacoteca Ambrosiana. A apenas uma hora de carro do centro de Milão, vale a pena visitar Pavia, com o Castelo Visconti, a Catedral, a Ponte Coperto e a Certosa, e Bérgamo, com seu centro medieval deitado nas colinas e cercado pelas muralhas venezianas (também um Patrimônio Mundial da UNESCO).

 

Turim


Turin
Capital do antigo Ducado de Sabóia, Turim atrai visitantes por suas praças e edifícios elegantes, como o Palácio Real, Palazzo del Governo e Palazzo Madama, as principais Residências da Casa Real de Sabóia declaradas Patrimônio Mundial da UNESCO (juntos com, entre outros, o Castelo de Valentino e Villa della Regina), a Catedral do século XV que guarda o Santo Sudário, e os museus, como o eminente Museu Egípcio (perdendo apenas para o museu do Cairo) e o Museu Nacional do Cinema , instalado dentro da Mole Antonelliana.

 

Aosta e seus castelos


Castelo de São Pedro
No centro do vale de Aosta, emoldurado pelas montanhas, Aosta abriga muitos locais de interesse cultural e histórico que datam do período romano (não por acaso é apelidada de “Roma dos Alpes”), como o Teatro Romano e o Arco de Augusto. A região também está repleta de castelos fascinantes (mais de 130) com interessantes coleções de museus: como o Castelo de Saint-Pierre, o Castelo de Verrès e o Castelo Savoy em Gressoney-Saint-Jean. Sem deixar de lado o Fort Bard, que abriga mostras de arte antiga e moderna e exposições temporárias.

 

Gênova


Piazza De Ferrari, Gênova
Com seu eminente passado de República Marítima, Génova possui um dos maiores centros históricos da Europa, espalhado por um labirinto de praças e becos estreitos (o caruggi). Antigas igrejas, como a Catedral de San Lorenzo e a Basílica de San Siro, e edifícios do século XVI, dominam o centro da cidade. A chamada “Strade Nuove” juntamente com o “Palazzi dei Rolli” – um conjunto de edifícios nobres que datam do final do Renascimento e da era barroca que abrigava ilustres viajantes do Grand Tour – desfrutam do reconhecimento de Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

 

Verona


Arena e Palazzo Barbieri, Verona
É a mais famosa “cidade do amor”, mas oferece muito mais do que o mito de Romeu e Julieta: a partir do centro da cidade transbordando de arte e sítios arqueológicos, como a Arena, o símbolo inconfundível da cidade, o teatro romano, as praças e palácios da dinastia Scaliger. Um passeio cultural por Verona não pode deixar de fazer uma parada em Vicenza, Patrimônio da UNESCO graças às valiosas obras de Palladio, em Pádua, entre torres medievais, praças nobres e museus (em primeiro lugar a Capela Scrovegni com afrescos de Giotto), e Mântua, cidade de arte ligada ao legado da família Gonzaga, um dos maiores nomes do Renascimento italiano.

 

Veneza


Veneza
Capital milenar da República de Veneza, unanimemente reconhecida como uma das cidades mais românticas do mundo, a “Sereníssima” possui um extraordinário centro histórico, Património Mundial da UNESCO, juntamente com a sua lagoa. Muitas são as oportunidades para saciar sua fome de cultura, começando da Praça de São Marcos com a Basílica de São Marcos, a Torre do Sino e o Palácio Ducal, sem descurar as igrejas de Santa Maria della Salute, Santa Maria Gloriosa dei Frari, as sinagogas do Gueto judeu, os muitos belos palácios com vista para os canais, campi (as praças locais) e calli (as ruas) e a extensa rede de Museus Cívicos (entre os quais, além do Palácio Ducal, também o Museu Correr, Ca ‘Rezzonico, Ca ‘Pesaro e Palazzo Mocenigo).

 

Trieste


Castelo Miramare, Trieste
Uma cidade fronteiriça com um passado Habsburgo, Trieste é uma encruzilhada de culturas com uma forte identidade centro-europeia. Com praças muito elegantes – a primeira delas a Piazza Unità d’Italia – e edifícios refinados, assim como sua interessante mistura de arquitetura religiosa católica, ortodoxa e hebraica. Às portas da cidade encontram-se castelos majestosos, como o conhecido Castelo Miramare. A poucos quilómetros do centro da cidade chega-se a Aquileia, com as suas ruínas romanas, património da UNESCO juntamente com Palmanova, fechada por muralhas e com uma planta estranha em forma de estrela, e Udine, com o seu castelo e exemplos de arquitetura medieval.

 

Bolonha


Basílica de San Petronio, Bolonha
Bolonha é uma importante cidade de arte e cultura: cidade da música da UNESCO desde 2006, abriga a universidade mais antiga do mundo ocidental e exibe um centro histórico composto por praças, torres (o símbolo da cidade) e longas passarelas cobertas. O coração da cidade é a Piazza Maggiore, próxima da Basílica de San Petronio e elegantes edifícios históricos. De Bolonha, nossa excursão cultural pode continuar até Parma, capital italiana da cultura em 2020, e ir descobrindo outros lugares culturais extraordinários, patrimônios mundiais da UNESCO, na área: a vizinha Modena, com sua incrível Catedral, o Campanário Ghirlandina e a Piazza Grande, Ravenna, com suas primeiras obras-primas cristãs e bizantinas, e Ferrara, uma cidade renascentista com seu famoso castelo e a “Delizie estensi”.

 

Florença


Catedral de florença
Berço da Renascença, uma cidade de arte e história com um patrimônio inestimável, Florença tem uma beleza incomparável, e você não pode evitar de se apaixonar por seu majestoso centro histórico, reconhecido patrimônio da UNESCO – Piazza della Signoria, Ponte Vecchio, Piazza del DuomoSanta Maria Novella – com os maravilhosos tesouros das Galerias Uffizi e Galleria dell’Accademia. Um passeio cultural pelos arredores também deve incluir Siena, cujo centro histórico também é patrimônio mundial da UNESCO, Pisa com a conhecida Piazza dei Miracoli, Arezzo, um verdadeiro museu a céu aberto, e San Gimignano, a “cidade das cem torres ”.

 

Assis


Basílica de San Francesco d’Assisi
A cidade que deu origem a São Francisco e Santa Clara, Assis é uma das aldeias medievais mais evocativas da Umbria, com uma atmosfera espiritual e um encanto atemporal: a vila é dominada pela Rocca Maggiore, a Basílica de Santo Francisco, o Palazzo del Capitano del Popolo e a Torre del Popolo. Na região de Umbria, recomendamos continuar seu grande tour cultural até Perugia, uma pequena joia artística e monumental, depois um pouco mais ao norte, em Gubbio, outro vilarejo pitoresco entre os mais bem conservados da região, e um pouco mais ao sul, em Spoleto, “A mais bela descoberta da Itália” segundo Herman Hesse, e Orvieto, conhecida por sua extraordinária catedral gótica e cidade subterrânea.

Mais informações em: www.italia.it

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*