Editorias, Notícias, Saúde e Beleza

Governo não atinge meta e prorroga campanha de vacinação contra gripe

Idosos e os profissionais da Saúde foram os que mais aderiram à campanha da Influenza. Foto: Ricardo Cassin/PMSBCA baixa adesão à vacinação contra a gripe forçou o Ministério da Saúde a prorrogar em todo o país a campanha de imunização, que deveria se encerrar ontem (26), até 9 de junho. Deve se vacinar quem se encaixa nos seguintes grupos: idosos a partir dos 60 anos, crianças a partir dos seis meses e menores de 5 anos, gestantes e mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias, profissionais de saúde, professores e pacientes crônicos.

A meta do governo é imunizar pelo menos 90% das 54,2 milhões de pessoas incluídas no grupo prioritário, mas, até a manhã desta quinta-feira (25), apenas 34,5 milhões (63,6% da meta) havia se vacinado.
A vacina protege contra a supergripe (H1N1), cujos casos tiveram um aumento em 2016, além de outros do H3N2 e do Influenza B. As contraindicações são para pessoas com histórico prévio de reação anafilática ou alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados, assim como a qualquer outro componente da vacina.

Até o momento, nenhum grupo prioritário atingiu a meta de vacinação, segundo o ministério. Os idosos registraram a maior cobertura, com 15,1 milhões de doses aplicadas -72,4% da meta.

ABC

De 17 de abril a 25 de maio, Diadema imunizou mais de 57 mil pessoas do público-alvo. Entre elas, estão idosos acima de 60 anos (83,44%), gestantes (43,33%), mães que tiveram seus filhos recentemente (62,94%), bebês de seis meses a 2 anos (31,11%), crianças de 2 a 5 anos (75,94%) e profissionais da saúde (63,02%).

Desde que a campanha foi lançada foram imunizados em São Bernardo mais de 150 mil pessoas de todos os grupos. Os idosos e os profissionais da Saúde foram os que mais aderiram à campanha. Ao todo, aproximadamente 68 mil pessoas (86% da população) se vacinaram.

Até esta quinta-feira (25), foram imunizados em Ribeirão Pires 2.860 crianças (46,11%), 1.839 trabalhadores da saúde (50,23%), 426 gestantes (40,46%), 161 puérperas (93,06%), 9.564 idosos (76,42%), 4.058 pessoas com comorbidades, 939 professores da cidade, além de outras 159 pessoas que estão em grupos específicos sem comorbidades.

O secretário de Saúde de São Bernardo, Geraldo Reple, apontou a prorrogação da campanha é mais uma possibilidade para a população aderir à imunização e se prevenir contra o vírus.

“O Ministério da Saúde está oferecendo mais uma oportunidade para as pessoas se protegerem. Ano passado, São Bernardo viveu uma epidemia, que matou 12 pessoas, vítimas do vírus da Influenza. Nós não vamos repetir esse histórico, temos que incentivar as pessoas a tomar a vacina”, ressaltou Reple.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*