Editorias, Notícias, São Paulo

Governo de São Paulo inicia testes da vacina contra o coronavírus

Governo de S.Paulo inicia testes da vacina contra o coronavírus
Doses chegaram na madrugada desta segunda-feira em São Paulo. Foto: Governo de SP/Agência Brasil

O governador João Doria anunciou nesta segunda-feira (20) o início dos testes da CovonaVac, vacina contra o coronavírus, no Brasil. O imunizante será aplicado em 890 voluntários da área da saúde do Hospital das Clínicas, na capital paulista.

A vacina é aplicada em duas doses. A primeira delas começa a ser aplicada hoje (21). A outra dose será aplicada após 14 dias. Os pesquisadores do Hospital das Clínicas vão analisar os volun­tários em consultas que são agendadas a cada duas semanas. A estimativa é concluir todo o estudo da fase 3 de testes em até 90 dias.

Ao todo, os testes com a CoronaVac serão realizados em 9 mil voluntários em centros de pesquisas de seis estados brasileiros: São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná. A pesquisa clínica será coordenada pelo Ins­tituto Butantan e o custo da testagem é de R$ 85 milhões, custeados pelo governo.

Os testes serão acompanhados por comissão de pesquisadores internacionais, que terão acesso à plataforma científica para observar o andamento e garantir transpa­rência em todo o processo.

PRODUÇÃO

Caso seja comprovado o sucesso, a vacina começará a ser produzida pelo Instituto Butantan a partir do início do ano que vem, com mais de 120 milhões de doses, o sufi­ciente para vacinar cerca de 60 milhões de brasileiros.

“A partir do fechamento do estudo, que deve acontecer em setembro, entramos na fase de acompanhamento, que é muito contínua. A qualquer momento, a partir daí, poderemos ter a abertura parcial do estudo que indique a sua eficácia. Se esse estudo for concluído antes do final deste ano – e essa é uma expectativa real – poderemos ter essa vacina disponível para a população brasileira já no início do próximo ano”, disse Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

Segundo Doria, a vacina, caso seja aprovada, será destinada a todos os brasileiros. “Isso será feito através do Sistema Único de Saúde, universal e gratuito a todos os brasileiros. O Instituto Butantan terá todo o domínio da tecnologia. É isto que prevê o acordo com o laboratório Sinovac.”

As doses da vacina chegaram na madrugada desta segunda-feira no Aeroporto Internacional de Guarulhos. A vacina contra o coronavírus é desenvolvida pela Sinovac, sediada na China, e tem parceria com o Instituto Butantan. A carga inicial com 20 mil doses da vacina aguardava liberação pela alfândega. Depois disso, o medicamento será inspecionado na sede do instituto. Em seguida, será distribuída aos 12 centros de pesquisa que serão responsáveis pelo recrutamento, aplicação e acompanhamento dos voluntários.

“Hoje é um momento histórico para a ciência brasileira. Chegaram em São Paulo, nesta madrugada, 20 mil doses da vacina CoronaVac, e agora seguem para a sede do Instituto Butantan. A partir de amanhã (hoje), começam a ser testadas”, falou Doria.

um comentário

  1. Parabéns ao pioneirismo do Estado de São Paulo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*