Diadema, Política-ABC, Sua região

Governador lamenta expulsão de Maranhão do PSDB e diz que recebe apoios anônimos no ABC

Governador lamenta expulsão de Maranhão do PSDB e diz que recebe apoios anônimos no ABC
Gabriel Maranhão foi expulso do PSDB após declarar apoio à reeleição de Márcio França. Foto: Divulgação

O governador Márcio França (PSB) esteve na ontem em Diadema para receber o título de Cidadão Diademense. Foi a primeira visita do socialista ao ABC após a expulsão do prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão, do PSDB, por ter declarado apoio à reeleição do governador. “Acho que o PSDB vai encontrar um jeito de equacionar isso. No meu partido isso não acontece (expulsão sumária)”, afirmou.

França destacou que as candidaturas só serão oficializadas em julho e que até lá não é possível evitar que as pessoas expressem suas opiniões. “Acho que (Maranhão) deve falar com o presidente do partido, o Pedro Tobias, os outros membros e fazer reverem a posição. É muito ruim isso. É injusto fazer punição antes de ouvir as pessoas. Primeiro ouve, abre prazo de defesa, a pessoa se defende e, depois se quiser, pune”, detalhou.

Questionado se a expulsão de Maranhão e de outros tucanos pode ser uma estratégia para esvaziar seu grupo de apoio, França declarou que essas atitudes só servem para torná-lo mais conhecido. “Vejo como erro, porque está chamando atenção sobre um assunto mais uma vez, está me fazendo ficar famoso. Só sou conhecido por 9% da população e cada vez me deixam mais famoso. Até agradeço a ajuda que têm me dado. Acho que não era necessário”, pontuou. O governador ironizou, afirmando que se o PSDB for expulsar todos os filiados que declararem apoio ao seu projeto de reeleição vai faltar ficha e caneta.

O socialista destacou, ainda, que existem prefeitos no ABC que encampam seu projeto de reeleição, mas que não podem declarar publicamente o apoio. Sem citar nomes, a menção foi ao prefeito de São Caetano, José Auricchio Junior (PSDB), único chefe do Executivo na região que ainda não se posicionou publicamente sobre quem vai apoiar para o Palácio dos Bandeirantes. Ambos estiveram juntos durante evento de aniversário do filho do prefeito, Thiago Auricchio, recém-filiado ao PR, partido aliado do PSB na eleição estadual.

Solidariedade

O prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), também expressou solidariedade a Maranhão. “Quero ser solidário a ele. O Márcio foi vice do Geraldo (Alckmin) durante todo o governo, expulsá-lo foi uma coisa incoerente”, afirmou. “Não sei se isso é uma decisão política de pessoas da região para prejudicar uma pessoa tão boa como o Maranhão. Não sei se houve articulação, mas foi muita coincidência”, completou.
O prefeito de Rio Grande da Serra informou que ainda não foi notificado oficialmente sobre a decisão do partido, mas que pretende recorrer da decisão junto à executiva nacional da legenda.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*