Economia, Notícias

GM vai ampliar capacidade da fábrica de São Caetano, que terá carros novos em 2020

GM vai ampliar capacidade da fábrica de  S.Caetano, que terá carros novos em 2020
Munhoz, Auricchio, Cidão do Sindicato, Alckmin, Zarlenga e Beto Vidoski inauguram prédio. Foto: Divulgação/GM

A General Motors apresentou ontem (20) as obras de expansão e modernização da fábrica de São Caetano, que resultam de investimento de R$ 1,2 bi­lhão, anunciado em agosto do ano passado. Com as melhorias, que serão concluídas em 12 meses, a planta terá a capacidade anual elevada dos atuais 250 mil para 330 mil veículos.

O montante a ser aplicado na unidade do ABC integra plano de investimentos de R$ 13 bilhões, que serão destinados às fábricas da GM no país entre 2014 e 2020.
A modernização permitirá à unidade receber novos modelos, o que deve ocorrer em 2020. Atualmente, são produzidos em São Caetano o hatch Onix Joy, o sedã Cobalt, a picape Montana e a minivan Spin.

“Os novos investimentos vão transformar o complexo industrial de São Caetano em um dos mais avançados da indústria”, disse Carlos Zarlenga, presidente da GM Mercosul, durante evento que teve a presença do governador Geraldo Alckmin (PSDB), do prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) e do ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima.

A unidade ganhou novo prédio, que elevou sua área construída para 432,3 mil metros quadrados. Além disso, a planta vai receber tecnologias de manufatura inteligente (Indústria 4.0), incluindo prensas de última geração, novos sistemas de montagem de motor/transmissão e de funilaria, e novo transportador de veículo na linha de montagem.

“Investimento é tudo o que o Brasil precisa. Não há crescimento sustentável só com consumo. A indústria é o motor da agregação de valor, dos empregos e da vanguarda”, afirmou Alckmin.

Férias coletivas

Os funcionários entram, agora, em férias coletivas de quatro semanas. Dos 9,3 mil trabalhadores, apenas 1,7 mil seguem na fábrica, atuando nas obras de expansão.
Marcos Munhoz, vice-pre­sidente da GM Mercosul, destacou o acordo fechado no ano passado com a direção do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano, o qual vi­a­bi­lizou os investimentos.

“O suporte do sindicato foi fundamental na tomada de decisão sobre os investimentos, que vão colocar a fábrica de São Caetano em um novo patamar de competitividade”, disse Munhoz.

O acordo, que reduziu direitos trabalhistas, garante o funcionamento da unidade até 2028. Sem isso, duraria mais quatro anos.

Pelo acerto, os 6 mil trabalhadores da produção não terão os salários reajustados pela inflação este ano – em contrapartida será pago abo­no de R$ 4 mil sem incorporação aos vencimentos.

Outra mudança diz respeito ao porcentual de adicional noturno, que será re­duzido gradualmente de 30% para 20% até 2020.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*