Editorias, Notícias, Veículos

GM apresenta no Brasil nova versão da picape média S10, a aventureira Z71

Dianteira se diferencia pelo conjunto óptico com faróis de máscara negra e pela grade escura com o nome Che­vrolet em relevo e emblema “Z71”
Dianteira se diferencia pelo conjunto óptico com faróis de máscara negra e pela grade escura com o nome Che­vrolet em relevo e emblema “Z71”. Foto: Divulgação/GM

DANIEL DIAS
AutoMotrix

Nos Estados Unidos, a especificação “Z71” há tempos é utilizada internamente pela Chevrolet para veículos com “estilo aventureiro”. De 30 anos para cá, passou a ser adotada em picapes e SUVs dentro do portfólio norte-americano da marca pertencente à General Motors. Agora, o “codinome” Z71 acaba de ser incorporado à S10 no Brasil. Aqui, não será uma série especial, mas uma configuração adicional da picape média produzida em São José dos Campos (SP).

Com preço de R$ 260.490, a S10 Z71 estará colocada en­tre a LT (R$ 248.990) e a LTZ (R$ 270.990). A linha da picape conta ainda com a versão de entrada, a LS, por R$ 221.490, e a top de linha High Country, com preço de R$ 280.390.

A marca norte-americana espera que a nova configuração responda por 10% do volume de vendas da família. Atualmente, a LTZ tem a maior fatia desse mix, com mais de 50% dos emplacamentos. Nes­te ano, até setembro, a S10 ocu­pou a segunda posição entre as picapes médias no mercado brasileiro, com 25.956 exemplares emplacados (média men­sal de 2.884 veículos), atrás da Toyota Hilux, que teve 32.570 unidades co­mercializadas no mesmo período (média de 3.618).

A configuração mais cultuada por fãs de picape de estilo aventureiro nos EUA se diferencia da LTZ (da qual herda a base) em 20 itens visuais e funcionais para trilhas fora-de-estrada, destacando o conjunto tubular de santantônio e estribos e pontos de amarração no interior da caçamba.

A Z71 traz mais robustez mecânica, de chassi, da suspensão e de tração disponível para a plataforma. “A S10 Z71 chega no momento em que as pessoas estão descobrindo formas diferentes de trabalhar e de se divertir. Com a pandemia (de covid-19) dando uma pe­quena trégua, voltou a crescer o interesse por viagens de automóvel, por esportes de aventura e pelo maior contato com a natureza. Para explorar o universo off-road, nada me­lhor do que uma picape robusta e confortável, que já provou superar os mais complexos desafios do agronegócio”, explicou Hermann Mahnke, diretor-executivo de Marketing da Gene­ral Motors América do Sul.

A S10 Z71 começa a chegar às concessionárias entre o final de outubro e o início de novembro. Será ofertada em quatro opções de cores para a carroceria (Branco Summit, Prata Switchblade, Azul Eclipse e Cinza Topazio) e virá equipada com itens de segurança, conveniência e conectividade valorizados pelo seu público-alvo, como seis airbags, aca­bamento premium dos bancos e sistema MyLink com Android Auto e Apple Car Play.

O conjunto motor-câmbio da nova S10 é o mesmo das versões mais sofisticadas, con­tando com o sistema CPA (Centrifugal Pendulum Absor­ber), que reduz os níveis de ruído e vibração típicos dos motores a diesel. Segundo a GM, o propulsor 2.8 turbo­diesel gera 200 cavalos de potência a 3.600 rotações por minuto, 51 kgfm de torque a partir de 2 mil giros e traz as mesmas evoluções aplicadas à linha no ano passado, como a turbina redimensionada e a nova cali­bração de motor e câmbio para favorecer as respostas em arrancadas e ultrapassagens.

A programação eletrônica é igual à da versão High Country. Por isso, a S10 Z71 apresenta números iguais de performance no asfalto, com aceleração de zero a 100 km/h em 10,1 segundos, velocidade máxima de 180 km/h e consumo de 8,3 km/l na cidade e de 10,6 km/l na estrada, conforme medições do Inmetro.

A nova configuração vem equipada com seletor eletrô­nico para ativação da tração 4×4 e da reduzida, além de controle de velocidade para descidas íngremes. O sistema, acionado por um botão no painel, é aconselhado a “encarar” escorregamentos em ladeira com piso de baixa aderência.

Como o espírito da Z71 é aventureiro, foi desenvolvido um pneu todo-terreno específico para o modelo, pensado para aumentar a aderência em todos os tipos de terreno, com foco especial para a terra. Os pneus da Z71 contam com ombros mais espessos e volumosos, escudos nas laterais para maior proteção e são fabricados com composição de borracha mais resistente. Com isso, cada pneu traz 320 gramas extras de material em relação ao modelo original do fornecedor.

Segundo a GM, a S10 Z71 tem chassi, suspensão e me­cânica reforçados, com vários componentes projetados com materiais especiais para suportar o uso severo do fora-de-estrada bem costumeiro no interior do Brasil. “Os coxins de amortecimento da cabine, por exemplo, foram projetados com rigidez e ângulo de fixação que propor­cionam maior conforto para os ocupantes, tanto do ponto de vista dinâmico quanto acústico. Já a suspensão foi especialmente desenvolvida e validada para as condições geográficas da nossa região”, afirmou Ricardo Fanucchi, diretor-geral da Engenharia de Produto da Ge­neral Motors América do Sul.

A dianteira da S10 Z71 se diferencia pelo conjunto óptico com faróis de máscara negra contornados por LEDs. A grade é toda escura com o nome Che­vrolet em relevo e destacando o emblema “Z71”. A cor preta aparece também no aplique central do para-choque, na capa dos retrovisores externos, nas rodas de alumínio de 18 polegadas e em acabamentos na parte traseira. Na lateral, as molduras são “flutuantes” nos para-lamas, que parecem deixar o veículo mais largo e elevado em relação ao solo. A peça foi originalmente pensada para proteger a lataria, principalmente em trilhas de mata fechada.

GM apresenta no Brasil nova versão da picape média S10, a aventureira Z71
Cabine traz detalhes em cinza acetinado que contrastam com o revestimento das portas em preto. Foto: Divulgação/GM

Customização de fábrica

A S10 é o modelo com mais capacidade de personalização da GM no Brasil. Nesse sentido, o estilo aventureiro atrai um grupo de seguidores que busca deixar a picape com aspecto mais imponente. “Este é exatamente o espírito da versão Z71, inventada pela Chevrolet nos Estados Unidos e cultuada há mais de três décadas pelo mundo. Para receber a chancela Z71, a picape precisa, além do mais alto nível de robustez, de um pacote de itens de design exclusivos e funcionais”, disse Rodrigo Fioco, diretor de Marketing de Produto da GM América do Sul.

Outros elementos ajudam a reforçar a identidade da S10 Z71, como os estribos e o santantônio de estilo tubular, mui­to comuns em veículos de rali. Os estribos servem de degrau para facilitar o embarque à ca­bine e ajudam a proteger a parte inferior contra o impacto de objetos durante o uso extremo. Já o santantônio estendido permite mais pontos de fixação para diferentes tipos de carga, de uma motocicleta cross até uma barraca de camping.

Adesivos contornando a ba­­se das portas e do compartimento de carga dão um toque particular, enquanto o nome da versão aparece também nas extremidades laterais com a informação da tração: “4×4”. A customização avança para a cabine. Os apliques centrais do painel e os revestimentos das portas e do console são todos em preto para contrastar com os detalhes em cinza acetinado presentes na cabine. volante e bancos contam com revestimento premium.

Para a GM, a escolha dos materiais e o desenho das superfícies foram projetados para facilitar a limpeza depois da aventura. Para um charme extra, nos assentos de tons escuros, foi utilizada uma técnica de costura inglesa que deixa os pontos aparentes, ressaltando as linhas brancas e vermelhas.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*