Política-ABC, São Bernardo do Campo, Sua região

Glauco Braido: ‘posso me candidatar a deputado como alternativa a mulheres e filhos de prefeito’

Braido: “Processei duas vezes o prefeito e por pouco não consegui aprovar emenda na LOA”. Foto: Divulgação
Braido: “Processei duas vezes o prefeito e por pouco não consegui aprovar emenda na LOA”. Foto: Divulgação

O vereador de São Bernardo Glauco Braido (PSD), que em meados do ano passado deixou a base do governo Orlando Morando (PSDB), em entrevista ao Diário Regional, afirmou que não descarta concorrer a deputado estadual este ano, como opção “as mulhe­res e filhos de prefeito”. O parlamentar fez balanço de seu primeiro ano de mandato e falou sobre o cenário político para as eleições.

DR – Como avalia seu primeiro ano de mandato?
GB -Acho fiz o que tinha de fazer. Não mudaria nada do que fiz. Protocolei mais de 40 projetos. Nenhum trocando nome rua, mas sim, projetos descentes. Economizei cerca de R$ 420 mil. Processei duas vezes o prefeito e por pouco não consegui feito histórico, que foi quase aprovar emenda na LOA (Lei de Diretrizes Orçamentárias), que o presidente (da Câmara) teve de desempatar. As emendas previam a redução de limite de remanejamento de orçamentos entre pastas via decreto de 20% para 5,02%; a realocação de R$ 20 milhões da Secretaria de Comunicação para a Segurança Pública; a realocação de R$ 10 milhões da Secretaria de Governo para a Segurança Pública; e a retirada do cheque em branco das mãos do prefeito (possibilidade de remanejamento ili­mitado de verbas entre pastas, via decreto, para determinados tipos de verbas). As emendas receberam pareceres jurídico e financeiro favoráveis e foram votadas em bloco.

Quero destacar, ainda, as emendas que eu trouxe para o município, que foram R$ 550 mil do deputado federal Kim Kataguiri (DEM) (voltada à aquisição de cadeiras de rodas e à Sala do Empreende­dor) e R$ 350 mil do deputado esta­dual Arthur do Val (recém-filiado ao Podemos), destinada a motos e equipamentos para a GCM.

Entre os projetos apresentados no ano passado, quais gostaria de destacar?
Creio que o destaque é o da liberdade econômica, que visa facilitar para o empreendedor aqui na cidade. Facilita a obtenção de alvará. Por exemplo, se você pede na prefeitura para abrir uma empresa e em 30 dias não responderem ao pedido, automaticamente é considerado apto a abrir a empresa. Isso sendo empresas de baixo risco. Digo que esse projeto é a cereja do bolo para aumentar o empreendedorismo na cidade e, mais para frente, em longo prazo, arrecadar mais, trazendo empresas para o município.
Outro projeto que destaco é o que prevê cassação de alvará de posto que vender gasolina adulterada. São vários projetos importantes, mas o da liberdade econômica considero o destaque.

Para este ano, minha luta vai ser aprovar meus projetos. Sei que é complicado se você não abraçar o prefeito, em qualquer Câmara, aprovar projetos. Porém, meu foco vai ser aprovar o da liberdade econômica; o dos radares, para acabar com a fábrica de multas, entre outros que já protocolei no ao passado.

Pretende sair a deputado nas eleições deste ano?
Acho que meu trabalho em São Bernardo não acabou. Porém, o Arthur me pediu para que eu ajudasse na campanha e, quem sabe, sair a deputado estadual.

Vejo um cenário de Carla Morando (deputada e esposa de Orlando Morando/PSDB), da esposa do Paulinho Serra (Ana Carolina Serra/PSDB) e do filho de (prefeito de São Caetano) José Auricchio (de­putado Thiago Auricchio/PL) concorrendo. Acho que o ABC não merece isso. Filhos ou mulheres de prefeitos concorrendo para criar mais força no Estado. Por isso, tem 90% de chance de eu me candidatar a deputado estadual, para dar uma opção diferente do que tem aí ao eleitor.

Lógico que vou acabar apontando o dedo, como sempre faço na Câmara de São Bernardo, para as campanhas multimilionárias de mulher de prefeito, de filho de prefeito. Se eu for fazer campanha, sem usar o Fundo Eleitoral, vou gastar muito pouco, mas me pontuando e mostrando minha posição sobre o que acho certo ou não acho.

Como avalia a condução dos trabalhos na Câmara?
O molde de trabalho na Câmara considero muito pouco democrático. Projetos do Executivo descem do dia para a noite. Já fiz vários vídeos criticando isso. Na última sessão teve, se não me engano, 18 projetos do Executivo que desceram (para a Câmara) na terça à noite, alguns protocolados até no dia (da sessão, que ocorre às quartas-feiras).

Como não político profissional, mas como empresário, neste primeiro ano de experiência vejo muita coisa que se pessoas de fora da política vissem ficariam irritadas. Tem muita coisa para melhorar. Passar as sessões ao vivo é uma delas, principalmente por conta da co­vid-19. São Bernardo é a única Câmara que não tem isso e há um projeto protocolado em meu nome obrigando que as sessões sejam passadas online. A Câmara tem muito a avançar para ser transparente e valer a pena para o gasto do cidadão.

O que o motivou sair da base do governo em meados do ano passado?
Quando entrei no partido, a única coisa que pedi foi liberdade para fazer o que quisesse e bater de frente com quem eu quisesse se estivesse errado na minha visão. Da base acho que nunca fui, mas como o partido era da base, entrei para ver como o jogo funcionava. Quando vi que não funcionava como eu queria, com o que achava justo, acabei rompendo e batendo de frente com alguns gastos excessivos.

Era muito mais fácil estar na base, só que entrei na política para mudar as coisas. Como vi coisas erradas, com as quais não concordava, acabei colocando minha posição e acho que incomodou muita gente. Digo que não sou oposição, mas sim, independente. Se o projeto for bom eu voto a favor; se for ruim “desço a lenha”.

Um de seus questio­namentos quanto ao go­verno foram os gastos com publicidade.
A ideia de analisar esses gastos surgiu com os munícipes, que questionavam as propagandas de São Bernardo na Globo, em horário nobre. Com isso, comecei a reparar e anotar isso (as inserções da propaganda). Daí fui ver a propaganda, mostrando que São Bernardo é uma cidade maravilhosa, com tudo certo. Com as reclamações (dos munícipes) fui olhar o contrato de publicidade por ano, em torno de R$ 22 mi­lhões a R$ 30 milhões, e achei um absurdo. Acabei entrando, juntamente com o Rubinho (vereador de São Paulo Rubinho Nunes/Patriota), que é nosso advogado do MBL (Movimento Brasil Livre), contra a licitação, o que acabou travando. Porém, só Deus sabe porque o juiz acabou liberando a licitação.

Entretanto, acabei mostrando a vergonha que é gastar R$ 30 milhões em publicidade enquanto você tem pessoas não sendo atendidas na UPA; os GCMs de São Bernardo recebendo muito mal; as bases da GCM que eram para ser temporárias virando fixas. Então, acho que tem outras prioridades em São Bernardo do que publicidade para levantar o nome do prefeito.

Em relação ao MBL, como o movimento vê o cenário político para as eleições deste ano?
Estamos bem incomodados com (a polarização) Lula (ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva/PT) e o (presidente Jair) Bolsonaro (PL). Já vimos que nenhum dos dois vai ser o caminho para um Brasil descente. Estamos muito próximos do Sérgio Moro (Podemos). Estamos fazendo aqui em São Paulo a coalizão Moro e Arthur do Val. Lógico que Moro não é MBL. Porém, vemos um caminho com Sérgio Moro que não vemos nem com Lula nem com Bolsonaro, e como terceira via, também não vemos com João Doria.
Em nível estadual estamos com o lançamento da campanha do Arthur para governador, que vai acabar abrindo mão da reeleição para deputado estadual e para disputar o governo.

um comentário

  1. Que bom foi ver esse ano do Glauco na nossa cidade. Ver que há esperança em trazer pessoas que não se vendem ao prefeito, sem ganhar nada durante a eleição e sem receber por debaixo dos panos pra ser base do prefeito. É nítido em nossa cidade como os vereadores agem .. isso precisa acabar e ter pessoas como o Glauco faz ainda acreditarmos. Parabéns Glauco, seguimos contigo e esperamos que sua conduta se expanda por onde estiver.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*