Brasil, Editorias, Notícias

Gastos com saúde privada no Brasil somam R$ 231 bilhões de 2010 a 2017

Gastos com saúde privada no Brasil somam R$ 231 bilhões de 2010 a 2017
Despesas com médicos e planos de saúde lideram ranking. Foto: Arquivo/Agência Brasil

Os serviços da saúde privada foram os principais gastos das famílias brasileiras com o setor, revelou nesta sexta-feira (20) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), através da pesquisa Conta Satélite de Saúde, que compara dados de 2010 a 2017.

Despesas com médicos e com planos de saúde lideram o ranking. No total, os gastos somaram R$ 231 bilhões, correspondentes a 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma das riquezas produzidas no país. Na despesa de consumo final do governo, o destaque foi a saúde pública, com R$ 201,6 bilhões, ou seja, 3,1% do PIB.

De acordo com o órgão, os gastos no consumo de bens e serviços de saúde no Brasil alcançaram, em 2017, o equivalente a 9,2% do PIB. Isso representou o total de R$ 608,3 bilhões. A maior parte, R$ 354,6 bilhões, que correspondem a 5,4% do PIB, foi com despesas de famílias e instituições sem fins de lucro a serviço das famílias (ISFLSF). As despesas de consumo do governo atingiram R$ 253,7 bilhões, ou seja, 3,9% do PIB.

De acordo com o órgão, ain­da em 2017, a despesa per capita com o consumo de bens e serviços de saúde, ficou em R$ 1.714,6 para famílias e instituições sem fins lucrativos a serviço das famílias. Para o go­verno somaram R$ 1.226,8.

Entre 2010 e 2015, o consumo de bens e serviços de saúde registrou crescimento, mas em 2016 houve queda em volume 1,5%. Apesar disso, em valor corrente as despesas aumentaram 6,8%. Conforme a pesquisa, em 2017, a alta em volume ficou em 0,6%, mas em valores correntes de 4,3%.

 GOVERNO

Os serviços de saúde e medi­camentos custeados pelo go­verno, em 2017, correspondiam 19,2% do total de bens e serviços fornecidos à população. Aí estão incluídos os serviços de saúde, educação e a administração pública.

O principal item na despesa de consumo do governo com saúde, foi a saúde pública. Foram R$ 201,6 bilhões do total das suas despesas nesta área, o que representou 79,5%. Já a despesa com saúde privada, que são os serviços adquiridos de estabele­cimentos privados, foi equi­valente a 17,2%, ou R$ 43,6 bilhões. Com medicamentos foram R$ 8,4 bilhões, 3,3% do total dessas despesas.

Conforme o IBGE, em 2017, o principal gasto das famílias com saúde, foi com serviços de saúde privada. Nesse ano, alcançaram 66,8% do total das despesas de saúde, somando R$ 231,0 bilhões. Os medicamentos alcançaram R$ 103,5 bilhões, ou 29,9% do total dessas despesas. Para a pesquisadora do IBGE em momento de aperto financeiro, as famílias procuram, primeiro cortar em outras áreas, para se necessário, por fim, chegar aos gastos com saúde.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*