Brasil, Editorias, Notícias

Garotinho teve vídeos editados, afirma perícia

RIO – As imagens do circuito interno da cadeia pública José Frederico Marques no dia em que o ex-governador Anthony Garotinho (PR) diz ter sido agredido foram editadas, segundo perícia feita pelo Ministério Público do Rio. Peritos do Divisão de Evidências Digitais e Tecnologia (Dedit) do MP-RJ apontaram três fragilidades nas imagens usadas pela Secretaria de Administração Penitenciária para afirmar que não houve invasão à cela do ex-governador. De acordo com a promotoria, o conjunto de gravações do caso apresentou “interrupções atípicas”, imagem congelada e evidência de “interferência humana” na captação dos vídeos.
Garotinho foi preso no dia 22 de novembro e ficou detido, inicialmente, na galeria A com outros presos. No dia seguinte, foi levado para a galeria B, uma ala que estava desativada. Único preso no local, Garotinho afirma ter sido agredido na madrugada do dia 24.
À época, agentes declararam à imprensa que o político se auto agrediu para forçar a transferência para Bangu 8, o que acabou ocorrendo. O vídeo disponibilizado para a imprensa mostrava uma gravação até as 22h58 do dia 23, retornando à 1h56, com Garotinho batendo palmas para chamar os agentes e relatar a suposta agressão. A pasta afirmou na ocasião que o sistema paralisa a captação de imagens quando não há movimento.

Evidências
A perícia do MP, contudo, afirma que há evidência de “interrupções atípicas caracterizadas por corte durante a movimentação de pessoas na área de captura da câmera”. O trecho se refere à câmera 4, que filmava a galeria B.
“O ponto-chave da interferência humana como fator determinante na inatividade das câmeras é notado pelo corte em meio ao movimento de um agente que transita no pátio. Ou seja, o sistema que durante todo o tempo grava até mesmo nuances de luminosidade é cortado bruscamente no meio do percurso do movimento que justamente é o gatilho da gravação”, diz a perícia.
Entre os vários indícios de manipulação encontrados está o congelamento da câmera 3, que também filma a galeria em que estava Garotinho naquela noite. Enquanto a 4 registrou o bater de palmas do ex-governador para chamar os agentes, a 3, virada para o mesmo local, não filmou o movimento.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*