Brasileirão, Esportes

Gallo chega ao Santos e espera definição sobre Marcos Leonardo: ‘Não podemos perdê-lo’

Novo coordenador técnico do Santos, Gallo entende que clube só deve negociar joia por boa proposta

Apresentado nesta sexta-feira (11) como novo coordenador técnico do Santos, cargo antes ocupado por Paulo Roberto Falcão, Alexandre Gallo espera uma definição sobre a permanência de Marcos Leonardo, alvo da Roma, nos próximos dias. O clube aceita negociar o jovem atacante de 20 anos, mas não quer liberá-lo na atual janela de transferências da Europa, pois acredita que não conseguiria uma reposição à altura. No Brasil, a janela para chegadas já fechou e apenas atletas sem clube podem ser contratados.

“Não podemos abrir mão dele (Marcos Leonardo), pois a janela já está fechada. Ainda não tenho uma máxima para dizer sobre isso. Tive uma reunião longa com o presidente e com os representantes dele, e acredito que em dois ou três dias teremos uma definição sobre isso”, afirmou Gallo.

“Neste momento, vamos negociar só se houver uma vantagem financeira muito grande, para que o Santos possa estar confortável. O presidente não está se sentindo confortável nessa avaliação financeira. Pode haver uma possível negociação, mas para uma saída na janela de fim de ano”

Com a proposta da Roma em mãos e animado com a possibilidade de se transferir já neste mês, Marcos Leonardo se ausentou dos treinos nesta semana. Por isso, dificilmente estará em campo no duelo com o Fortaleza, marcado para as 18h30 de domingo, na Arena Castelão, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. O jogo marcará a estreia de Diego Aguirre no comando técnico.

“A gente conta com ele. Houve alguns problemas, ontem (quinta-feira) tomei pé da situação, conversei com a comissão técnica”, disse Gallo, sobre a possibilidade de o atacante jogar no final de semana. “Não ter treinado com a comissão técnica dificulta para ele ir ao jogo. Entendo todos os lados, mas estou confiante de que vamos chegar em um consenso e ele irá voltar a jogar”, prosseguiu.

RETORNO AO SANTOS

Marcos Leonardo foi o principal assunto da coletiva, mas Gallo também falou sobre outros temas, como o sentimento de retornar ao Santos. O ex-jogador foi o capitão do vice-campeonato brasileiro em 1995. Após se aposentar dos gramados, voltou ao time como auxiliar de Vanderlei Luxemburgo em 2004, ano do último título brasileiro conquistado pelos santistas.

Ao deixar a Vila Belmiro, iniciou carreira como treinador no Vila Nova. Na temporada seguinte, quando Luxemburgo foi para o Real Madrid, Gallo deixou a Portuguesa, time que treinava na época, para assumir o cargo de treinador alvinegro. A identificação com o clube fez Gallo desistir de uma proposta para trabalhar no Irã.

“O Santos fez parte da minha vida por sete temporadas, cinco como atleta. Foi uma grande oportunidade. Eu estava praticamente acertado com um time no Irã, ia viajar na sexta-feira. Recebi um telefonema, demorou 24 horas para este telefone acontecer. Pude pensar bastante na possibilidade de voltar ao Santos. Sobre o momento ruim, as grandes dificuldades são irmãs das grandes oportunidades. O Santos abriu as portas do mundo para mim, eu devo muito ao Santos”

O novo coordenador santista ainda abordou a dificuldade do clube em trazer reforços e as alternativas estudadas. “Conversamos com o presidente, com o Diego Aguirre também. Estamos fortalecendo essa questão de contatos na Europa, Ásia e América Central para que existam possibilidades. É um momento bem difícil. Pegar um atleta parado há bastante tempo, pode demorar para entrar em forma. Estamos mapeando e conversando bastante com o Aguirre sobre a possibilidade de trazer algum jogador.”

Print Friendly, PDF & Email

Deixe eu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*