Saúde e Beleza

Fundação do ABC gerencia 1.095 leitos exclusivos de covid-19

Entre as unidades da FUABC que reforçarão o enfrentamento ao novo coronavírus está o AME Santo André. Foto: Divulgação
Entre as unidades da FUABC que reforçarão o enfrentamento ao novo coronavírus está o AME Santo André. Foto: Divulgação

Entre as maiores instituições de saúde do país, a Fundação do ABC tem apoiado o poder público desde o início da pandemia, com assistência à população, gestão de diversas unidades de saúde e de hospitais de campanha. Em março deste ano, a entidade contabilizou 1.095 leitos exclusivos de covid-19 em atividade, divididos entre 443 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 652 de enfermaria.

Somente no Complexo Hospitalar Municipal de São Bernardo são 508 leitos, sendo 331 de enfermaria e 177 de UTI. Em São Caetano, o Complexo Hospitalar conta com 98 leitos (48 enfermaria e 50 de UTI), além do Hospital de Campanha, que mantém mais 50 leitos (48 enfermaria e 2 de UTI). Referência em alta complexidade, o Hospital Estadual Mário Covas conta com 75 leitos dedicados exclusivamente aos casos do novo coronavírus (34 enfermaria e 41 de UTI). Já no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes, onde funciona o Centro de Referência do Coronavírus, são 70 leitos de enfermaria e 61 de UTI.

No Complexo de Saúde de Mauá (COSAM) são mais 70 leitos instalados no Hospital de Clínicas Dr. Radamés Nardini (30 enfermaria e 40 de UTI). No Guarujá, o Instituto de Infectologia Emílio Ribas II Baixada Santista mantém 21 leitos (11 enfermaria e 10 de UTI). O contrato de gestão São Mateus, na Zona Leste da Capital, contabiliza outros 70 leitos (50 enfermaria e 20 de UTI).

O Hospital da Mulher de Santo André conta com 6 leitos de enfermaria e 4 de UTI, enquanto a UPA Central de Santos mantém 24 leitos de enfermaria. Em recentes parcerias com o Governo do Estado, foram abertos 18 leitos de Terapia Intensiva no Hospital Ipiranga e outros 20 no Hospital São Mateus, ambos localizados na Capital.

Além desses quase 1.100 leitos, a FUABC, por meio da Central de Convênios, apoia a Prefeitura de Santo André no enfrentamento à pandemia e na manutenção de 557 leitos Covid na cidade. São 177 no Centro Hospitalar Municipal (35 enfermaria e 142 de UTI), 190 no Hospital de Campanha Pedro Dell’Antonia (160 enfermaria e 30 de UTI) e 190 no Hospital de Campanha Universidade Federal do ABC (180 enfermaria e 10 de UTI).

PLANEJAMENTO

Estão em andamento trabalhos para a implementação de 104 novos leitos covid, além de projetos relacionados a mais de 300 leitos para o Governo do Estado e diversos municípios.

Entre as unidades da FUABC que reforçarão o enfrentamento ao novo coronavírus estão três Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs), que serão transformados em Hospitais de Campanha pelo Governo do Estado de São Paulo. O AME Santo André receberá 10 leitos de UTI adulto e 13 de enfermaria. No AME Sorocaba serão 8 leitos de UTI adulto e 2 de enfermaria, enquanto o AME Santos terá 10 leitos de UTI adulto e 6 de enfermaria. No âmbito municipal, a UPA Central de Santos passará a contar com 40 leitos de UTI adulto e 15 de enfermaria.

“As taxas de ocupação das UTIs no Estado e no  ABC estão em alta e estamos reunindo todos os esforços para apoiar o poder público na ampliação de leitos e de equipes assistenciais. Infelizmente, enquanto a pandemia segue tirando muitas vidas, temos visto um afrouxamento das medidas preventivas, com aglomerações, festas clandestinas e muitas pessoas circulando sem máscara”, destaca a presidente da Fundação do ABC,  Adriana Berringer Stephan, que recomenda: “Distanciamento social, uso de máscara e de álcool gel são fundamentais e devem ser reforçados. Se cada um fizer a sua parte, não tenho dúvidas de que viraremos esse jogo mais rapidamente”.

Para a dirigente da FUABC, o início da vacinação contra a covid-19 trouxe um alívio aos gestores públicos, às equipes de saúde e também à população, pois permitiu “enxergar luz no fim do túnel”. Contudo,  Adriana Berringer adverte: “Ainda há uma longa jornada até que a maioria da população esteja imunizada e a pandemia, finalmente, seja superada. Ou seja, até que esse ‘túnel’ termine, temos que reforçar as medidas preventivas. Isso é crucial. Não podemos passar 2021 vacinando a população e vendo milhares de pessoas perderem a vida concomitantemente. As taxas de infecção precisam baixar. As UTIs precisam desafogar”.

COMBATE À COVID-19

Desde o início da pandemia, em março de 2020, a Fundação do ABC precisou se reinventar e passou a ocupar lugar de destaque e protagonismo na saúde pública regional e estadual. Ao longo do ano passado foram abertos mais de 800 leitos exclusivos destinados ao atendimento de casos de covid-19, espalhados pelas redes hospitalares e nos hospitais de campanha das cidades parceiras. Também foram contratados mais de 4 mil novos funcionários diretos.

O enfrentamento da pandemia também fortaleceu ainda mais a parceria junto ao Governo do Estado de São Paulo, a partir da gestão de uma UTI no Hospital Ipiranga, em São Paulo, e do Centro de Triagem. Paralelamente, teve início a gestão do serviço de Clínica Médica do Pronto-Socorro Adulto do Hospital Geral de São Mateus e de uma Unidade de Terapia Intensiva. Em São Bernardo, o Hospital de Urgência foi entregue 100% destinado ao atendimento de casos de Covid-19, com quase 300 leitos. Em Santo André, São Caetano do Sul e Mogi das Cruzes, a parceria com a FUABC foi consolidada junto às prefeituras com a implantação de cinco modernos hospitais de campanha. Já na UPA Central de Santos, foi criado um Centro de Triagem do lado externo da unidade.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*