Economia, Notícias

Funcionários da Toyota aprovam termos de mudança da sede para Sorocaba

Funcionários da Toyota aprovam termos de mudança da sede para Sorocaba
Acordo prevê a transferência de 490 trabalhadores do administrativo para o Interior com incentivo para quem aceitar e a abertura de PDV com meta de 120 adesões. Foto: Divulgação

Em assembleia presencial realizada ontem (28) os traba­lhadores da Toyota em São Bernardo aprovaram acordo ne­gociado entre o Sindicato dos Me­talúrgicos do ABC e a empresa. A negociação teve início na semana passada, após a montadora anunciar que pretende transferir o setor administrativo para Sorocaba, no Interior do Estado, e abrir programa de demissão voluntária (PDV) para reduzir o quadro de funcioná­rios na planta do ABC.

A proposta aprovada inclui a abertura de um PDV para todos os trabalhadores da área administrativa, com incentivo de 12 salários e manutenção do plano de saúde por um ano. O programa está aberto inclusive àqueles que serão transferidos para Sorocaba e ainda para os aposentados que atuam na produção.

Para os trabalhadores que mudarão de planta, o acordo garantiu o pagamento de dois salários no mês da transferência e 2,4 adicionais àqueles que optarem por mudar seu domicílio para a cidade. Os que ficarem terão transporte fretado de São Bernardo a Sorocaba por dois nos. A negociação também garantiu um ano de estabilidade a todos os transferidos.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, o Wagnão, recebeu com perplexidade a informação de que a Toyota transferiria as atividades corporativas da planta de São Bernardo. “No anúncio, a direção da montadora disse que a mudança envolveria 600 trabalhadores e que fariam ainda o desligamento de outros 300. Conversamos com os trabalhadores, que autorizaram o sindicato a iniciar processo de negociação com objetivo de reverter a transferência, garantir que a readequação do efetivo fosse feita de forma voluntária e que a montadora desse garantias para o futuro da planta de São Bernardo”, explicou.

Para Wagnão, o momento atual tem dificultado muito as negociações, mas ao final foi possível firmar um acordo com garantias importantes. “Diferentemente do que vivemos em 2015, por exemplo, quando os investimentos do Inovar-Auto tornaram possível a ampliação da planta da Toyota e a cons­trução do Centro de Desenvolvimento, hoje não há qualquer iniciativa dos governos em defesa da indústria e dos empregos. A direção manteve a decisão de transferência, mas conseguimos bom acordo para aqueles que serão transferidos, com es­tabilidade e PDV em bom patamar, de forma que as saídas aconteçam de forma vo­luntária.”

O dirigente destacou que houve redução no nú­mero de transferidos e na meta de redução do efetivo. “A empresa pretendia transferir 600 traba­lhadores e conseguimos reduzir para 490. Dos 300 que a fábrica pretendia demitir, negociamos para que a meta seja 120.”

Wagnão ressalta ainda que a Toyota se comprometeu com a continuidade da unidade de São Bernardo e que será formada uma mesa conjunta para discutir e viabilizar novos produtos para a planta.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*