Mauá, Minha Cidade, Sua região

FUABC deve continuar à frente da gestão da saúde em Mauá

FUABC deve continuar à frente da  gestão da saúde em Mauá
Atila Jacomussi: “prefeitura vai apresentar dentro de 20 dias plano emergencial para o setor”. Roberto Mourão/PMM

O prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), e o presidente da Fundação ABC (FUABC), Luiz Mario Pereira de Souza Gomes, se reuniram nesta terça-feira (18) para buscar soluções ao imbróglio que afeta a área de saúde da cidade. Segundo a fundação, Atila Jacomussi “expressou o desejo da permanência da FUABC à frente da gestão da saúde no município”.

Durante o afastamento de Atila, o governo interino de Alaíde Damo (MDB) anunciou, em 28 de agosto, o rompimento do vínculo com a FUABC e a retomada da gestão do sistema. Porém, três dias depois recuou da decisão, abriu negociações com a entidade, a fim de elaborar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), e anunciou o início de processo licitatório para contratação de uma Organização Social de Saúde (OSS) para assumir a gestão do setor.

Após retornar ao Paço na última semana, Atila afirmou que retomaria as negociações com a FUABC, reavaliaria o encerramento do convênio com a Santa Casa de Saúde de Mauá, e retornaria com os atendimentos no pronto-socorro do Hospital Municipal Dr. Radamés Nardini – que, sob a gestão de Alaíde, dei­xou de ser “porta aber­ta” e passou a atender ape­nas casos de urgência, ginecologia, psiquiatria e ortopedia.

“Para resolvermos o impasse sobre o contrato de gestão de saúde da nossa cidade, nos próximos 20 dias será apresentado plano de ação de impacto emergencial, para darmos respostas ao povo de Mauá, além de prio­rizarmos os atendimentos de emergência, exames e consultas”, afirmou o prefeito.

Atila também destacou que dentro de 60 dias será apresentado novo modelo de gestão da saúde. Durante o período de elaboração do novo plano de trabalho, segundo a FUABC, “a Prefeitura de Mauá e fundação regularizarão a contratação, e o município buscará definir os valores que serão repassados e os serviços que a instituição deverá executar”.

A FUABC informou que colocou toda sua equipe técnica à disposição da Secretaria de Saúde, a fim de que seja ela­borado o novo plano de trabalho, conjunto e consensual, para o Complexo de Saúde de Mauá (Cosam), além do tratamento da dívida envolvendo o contrato e sua necessária regularização. A Fundação ABC alega que Mauá lhe deve mais de R$ 120 milhões em serviços prestados.

O Ministério Público do Estado de São Paulo seguirá acompanhando todas as tratativas. Segundo nota oficial da Fundação, o novo plano de trabalho será rigorosa mente ade­quado à capaci­dade financeira do município e estará vinculado ao tratamento da dívida.

“Nossa responsabilidade é devolver o orgulho e dar uma saúde digna ao povo”, afirmou Atila Jacomussi.

SANTA CASA

Durante a gestão de Alaíde também foi encerrado o contrato com a Santa Casa de Mauá. No último sábado (15), cerca 120 pessoas participaram da Passeata do Bem, em apoio à retomada de negociações e a renovação do contrato, de forma que voltem os atendimentos pelo SUS, principalmente às gestantes mauaenses que, tradicionalmente, dão à luz na Santa Casa. A instituição, que conta com mais de 50 anos, já realizou mais de 150 mil partos, tornando-se a principal maternidade do município.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*