Diadema, Política-ABC, Sua região

Fórum da Cidade discute mudanças no Plano Diretor em Diadema

Autoridades políticas e empresários discutiram futuro da cidade. Foto: Thiago Benedetti/PMDQual é a real vocação de Diadema? Com está reflexão, foi aberto o Fórum da Cidade, um diálogo entre poder público, empresários e sociedade sobre as principais mudanças que precisam ser feitas no Plano Diretor. O prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), o vice e chefe de Gabinete, Márcio da Farmácia (PSB), e demais secretários participaram de uma reunião com 20 empresários para discutir o futuro do município.

“Será que Diadema realmente tem apenas vocação industrial? Que tipo de mão de obra qualificada os empresários precisam? O que nos queremos para o futuro da nossa cidade nos próximos 10 anos? O principal objetivo, aqui, hoje, é ouvi-los. O novo Plano Diretor será construído em conjunto e os empresários terão voz e participação efetiva”, destacou o prefeito.

Diadema está localizada em um ponto estratégico com fácil acesso ao rodoanel, aeroportos e ao porto de Santos. Uma das mudanças que constam no projeto e está em discussão é um plano de recuperação de desenvolvimento econômico na cidade para fomentar mais mão de obra e atrair os investidores com benefícios como isenção de IPTU e ISS. Os incentivos serão concedidos por meio dos Certificados de Potencial Adicional de Construção (CEPACs), que são valores mobiliários emitidos pela prefeitura, utilizados como meio de pagamento de contrapartida para a outorga de Direito Urbanístico Adicional dentro do perímetro de uma Operação Urbana Consorciada. Cada Cepac equivale a determinado valor de m² para utilização em área adicional de construção ou em modificação de usos e parâmetros de um terreno ou projeto.

Segundo o presidente mundial da Indústria e Comércio de Produtos Metálicos – TTB, Francisco Gomes, Diadema é um grande polo em desenvolvimento. “A cidade tem tudo para agregar mais valor. A TTB está em Diadema há 62 anos e queremos continuar. É importante está participação de todos na construção do Plano Diretor e o equilíbrio é fundamental”, afirmou.

“Em 2018, obrigatoriamente, o Plano Diretor deverá ser revisto. A gestão está se antecipando e vamos ouvir todos os representantes da cidade”, afirmou a secretária de Habitação, Regina Gonçalves.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*