Economia, Notícias

Ford vende fábrica em São Bernardo para construtora por R$ 550 milhões

Fábrica da Ford em São Bernardo é vendida para construtora
Área de 1 milhão de metros quadrados situada no bairro Taboão tem novo dono. Foto: Arquivo

Quase um ano e quatro meses depois de a Ford anunciar o fechamento da fábrica de São Bernardo, a área de 1 milhão de metros quadrados situada no bairro Taboão tem novo dono. Trata-se da construtora São José, que arrematou o terreno por R$ 550 milhões.

A construtora é a mesma que, em 2010, comprou em parceria com a administradora BR Malls terreno de 105 mil metros quadrados em São Bernardo onde funcionava fábrica da Brastemp. Lá, as duas empresas ergueram um shopping (São Bernardo Plaza), inaugurado em novembro de 2012.

Segundo o site InfoMoney, a construtora São José venceu disputa com outras três empresas do ramo imobiliário.

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), foi informado do negócio durante reunião com representantes da construtora. Segundo o tucano, o objetivo é “instalar uma montadora no local e abrir nova cadeia de empregos no município”.

Ainda segundo o prefeito, caso a construtora não consiga viabilizar a chegada de montadora ao local, o terreno poderá receber um centro logístico. O Plano Diretor do município determina que o espaço terá de ser utilizado para atividades industriais ou de logística.

“Desde o anúncio repentino da saída da Ford, nós, da prefeitura, buscamos a preservação dos postos de trabalho. Agora, com esse negócio, ascende uma esperança para a geração de empregos”, afirmou Morando.

Em nota, a Ford informou que a construtora São José “é um dos potenciais compradores, mas não há nada para anunciar no momento”.

Também em nota, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC informou que não foi procurado pela Ford para comunicar a decisão. “A Ford havia se comprometido a informar o sindicato em relação ao destino desta planta. Até este momento, nenhum contato foi feito pela direção da Ford depois da última posição. O sindicato espera que a Ford cumpra seu compromisso e não repita o que aconteceu em fevereiro do ano passado, quando do anúncio de fechamento da fábrica.”

HISTÓRICO

A Ford anunciou em fevereiro do ano passado o fechamento da unidade, que fabricava o hatch New Fiesta e os caminhões das linhas Cargo e Série F. A produção do compacto terminou em agosto e a dos pesados, em outubro. A planta empregava 2,7 mil trabalhadores, dos quais cerca de mil, do setor administrativo, foram mantidos e os demais, demitidos.

A busca por um comprador do setor automotivo para a fábrica teve início dias depois do anúncio do fechamento, com a participação do governador João Doria (PSDB). Em setembro, o tucano chegou a realizar evento no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, para anunciar o interesse da Caoa na compra da planta, mas o negócio não se concretizou, porque o grupo brasileiro não conseguiu obter do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) empréstimo para viabilizar o negócio.

Com isso, a negociação perdeu força até a desistência oficial por parte do grupo, em janeiro deste ano. No mesmo mês, Doria afirmou que dois grupos chineses estariam interessadas na compra da fábrica. Por fim, em maio, a Ford revelou que havia iniciado negociações com empresa de fora do setor automotivo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*