Editorias, Notícias, Veículos

Ford traz para o Brasil o Mustang Mach 1, com seu exuberante motor V8 de 483 cv

Ford traz para o Brasil o Mustang Mach 1, com seu exuberante motor V8 de 483 cv
Estilisticamente, novo Ma­ch 1 ostenta referências histó­ricas com interpretação moderna. Foto: Divulgação/Ford

LUIZ HUMBERTO MONTEIRO PEREIRA
AutoMotrix

Por definição, um automóvel é um veículo de transporte pessoal sobre quatro rodas, para uso individual ou familiar, urbano ou rodoviário. Porém, há carros que vão muito além dessa definição, disponíveis especialmente para quem tem muito dinheiro para gastar. O Mustang é um desses. Lançado em 1964, o esportivo da Ford tornou-se sucesso ins­tantâneo. Virou sinônimo de esportividade automotiva, além de originar um gênero de veículos – os chamados “pony cars”, cupês esportivos de quatro lugares com capô longo e traseira curta.

Quase seis décadas após o lançamento e atualmente em sua sexta geração, o Mustang continua em alta e fechou 2020 como o esportivo mais vendido do mundo pelo segundo ano seguido. Funciona como uma marca própria dentro da Ford – tanto que é o indefectível potro galopando que aparece na grade e no volante, onde deveria estar o oval azul da marca norte-americana.

Parte da mística do mode­lo é creditada as suas icônicas versões e edições especiais, como Shelby e Black Shadow. Essa “galeria” incorporou, em julho do ano passado, a Mach 1 – versão apresentada originalmente em 1969 e reeditada após ter sido oferecida pela última vez em 2004. É produzida em edição limi­tada, mas sem quantidade especificada. A Ford já começou a receber pedidos no Brasil, com as entregas a partir de junho. O preço base é R$ 499 mil, mas pode variar com os impostos estaduais.

A quarta geração do Mach 1 é movida por um conjunto formado por motor Coyote V8 5.0 e transmissão automática de dez velocidades. Com calibração exclusiva que gera 17 cv de ganho, entrega 483 cv de potência e torque máximo de 56,69 kgfm.

O modelo agrega novo conversor de torque que, segundo a Ford, proporciona trocas mais rápidas. A barra antitorção e o sistema de indução de ar “open air box” vêm do Mustang Bullitt, enquanto coletor de admissão, o sistema de arrefecimento do motor e o radiador da transmissão são originários do Shelby GT350. Já o escapamento, o difusor traseiro, o conjunto de braços e buchas da suspensão e o sistema de arrefecimento do diferencial são compartilhados com o Shelby GT500. A suspensão adaptativa MagneRide, com fluido eletromagnético viscoso, conta com ca­libração exclusiva para aumentar a performance nas pistas. Segundo a Ford, o Mach 1 acelera de zero a 100 km/h em 4,3 segundos e tem velocidade máxima limitada eletronicamente de 250 km/h.

Estilisticamente, o novo Ma­ch 1 ostenta referências histó­ricas com interpretação moderna – começando pela faixa preta com friso colorido no capô e nas laterais. A frente traz nova grade, com o emblema do cavalo no centro e dois grafismos redondos que evocam os faróis auxiliares do modelo 1969. O para-choque tem desenho exclusivo, com novo difusor inferior e duas entradas de ar laterais para suprir os novos radiadores. Nos lados, os grafismos nas portas e na região inferior da carroceria são complementados pelo emblema “Mach 1” no para-lama dianteiro.

As rodas de 19 polegadas com acabamento cinza brilhante cal­çam pneus 255/40 R19 na dianteira e 275/40 R19 na traseira e deixam à mostra os vistosos freios Brembo. Na traseira estão o aerofólio discreto, o difusor com recortes triangulares e as quatro ponteiras de escapamento integradas, “emprestadas” do GT500. As lanternas são interligadas por uma faixa preta, com a assinatura “Mach 1” no centro.

O Mach 1 é disponível em oito combinações de cores. O Cinza Dover traz faixas pretas com contorno laranja. Nos mo­delos Branco Ártico, Preto Astúrias e Prata Orvalho, esse contorno é vermelho. Nas opções Azul Indianápolis, Laranja Astana, Verme­lho Arizona e Amarelo Talladega, o contraste é feito em branco.

São sete modos de direção no Mach 1: Normal, Esportivo, Esportivo+, Pista, Drag, Neve/Mo­lhado e My Mode. Para extrair o melhor desempenho em cada condição de pista, os modos variam os parâmetros de velocidade da troca de marchas, da resposta do acelerador, da atua­ção dos freios ABS, do controle de estabilidade, do ajuste da direção, da suspensão adaptativa e do som do escapamento.

O painel de instrumentos di­gital de 12 polegadas permite personalizar cores e mostradores e dá acesso aos Track Apps, que inclui o marcador de zero a 100 km/h. O escapamento com ajuste de válvula ativo oferece quatro níveis sonoros: silencioso, normal, esportivo e pista. O modo silencioso pode ser ajustado, por exemplo, para não incomodar os vizinhos pela manhã. Nos modos esportivo e pista, o som fica mais enfurecido – soa como música para os fãs de motores V8.

Para deter tanto ímpeto quan­do é necessário, os freios dianteiros Brembo de 15 polegadas contam com pinças de alumínio, seis pistões de 36 mm e pasti­lhas desenvolvidas para as competições. A segurança autônoma está representada pelo alerta de colisão com detecção de pedestres e frenagem de emergência, pelo assistente de permanência em faixa e pelo alerta de fadiga.

O modelo traz ainda oito airbags, controle eletrônico de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, câmera de ré com sensor de estacionamento e monitoramento individual de pressão dos pneus.

Ostentação interior

A versão Mach 1 surgiu há 52 anos como a mais requintada do Mustang. A atual geração mantém a tradição. O novo Mach 1 tem interior esportivo e esmerado, com cores e materiais de acabamento especialmente selecionados. A placa afixada no painel com o número de identificação de cada veículo reforça a exclusividade. A cabine em estilo cockpit, com forte influência aeronáutica, é focada na ergonomia. Os comandos na direção, as teclas no painel de instrumentos digital, o câmbio e o console se­guem a inspiração nos aviões.

Os bancos fazem um tributo ao Mach 1 original, com recortes horizontais e detalhe de cor contrastante no encosto – laranja na versão Cinza Dover e em tom claro nas demais. O revestimento em couro perfurado serve ao sistema de aquecimento e resfriamento. Detalhes de metal polido e escurecido ajudam a criar um ambiente de esportividade. A soleira das portas traz desenho com a assinatura “Mach 1” e iluminação personalizável em sete cores. A luz de aproximação dos retrovisores externos que projeta o ícone do cavalo no chão ajuda a impressionar ainda mais a vizinhança – como se fosse necessário…

CONECTADO

O novo Mach 1 é o primeiro Mustang a chegar à América do Sul equipado com o FordPass Connect, que dá acesso a informações e comandos do veículo pelo celular. O sistema permite travar e abrir as portas com ape­nas um toque, de maneira remota, ou ingressar no veículo sem a chave. O motorista pode dar partida remota e ligar o ar-condicionado para deixar o carro na temperatura ideal. O FordPass ainda envia notificação de alarme em tempo real, mostra a localização do veículo e avisa sobre eventuais pneus com pressão baixa.

“O usuário pode saber em tempo real tudo o que está acontecendo com o veículo, uma gran­de conveniência e diferencial em relação às outras versões do Mustang”, explica Leonardo Monaco, gerente de Projeto do Mustang Mach 1 na América do Sul.

A central multimídia Sync 3 traz navegação e comando de voz, que permite fazer e receber ligações sem tirar a mão do volante, além de conexão com Apple CarPlay ou Android Auto. O sistema de áudio premium da Bang & Olufsen tem 1.000 watts de po­tência, 12 alto-falantes e subwo­o­fer de oito polegadas.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*