Economia, Notícias

Ford paga até R$ 93 mil para quem aderir a PDV em Camaçari

Ford paga até R$ 93 mil para quem aderir a PDV em Camaçari
Ford tem quase 1,5 mil funcionários com contratos suspensos até dezembro. Foto: Divulgação/Ford

A Ford fechou acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari (BA) para a abertura de um Programa de Demissão Voluntária (PDV) que começa nesta semana e pagará até R$ 93 mil de salário extra para trabalhadores que aderirem.

A empresa também vai prorrogar até o final de dezembro a suspensão de contratos de trabalho (lay-off) de 1.450 funcionários próprios e de fornecedores que operam dentro do complexo na Bahia. O grupo está fora da fábrica desde março e, segundo o presidente do sindicato, Júlio Bonfim, o prazo poderá ser estendido até maio se houver necessidade.

A Ford é a terceira entre as cinco maiores fabricantes de automóveis do país a anunciar PDV para reduzir a ociosidade de mão de obra, intensificada pela pandemia do coronavírus. Desse grupo, Fiat e Hyundai ainda não anunciaram medidas desse tipo.

Pelo PDV, o valor mais alto será pago a quem trabalha na Ford há mais de 17 anos. Para os demais o valor vai variar de R$ 40 mil a R$ 80 mil, dependendo do tempo de contrato. O grupo fechou a fábrica de São Bernardo no ano passado e tem hoje 6,5 mil empregados em Camaçari. Outros 3,5 mil estão nos fornecedores de peças do complexo.

Em nota, a Ford informou que “o objetivo é ajustar os níveis de produção à significativa desaceleração do mercado gerada pela pandemia”. O PDV é voltado aos empregados da área de produção e as inscrições começam na quinta-feira.

Segundo Bomfim, a Ford iniciou o ano com previsão de produzir 215 mil unidades do EcoSport e do Ka, mas a projeção caiu para 136 mil unidades “ou menos”. Para o executivo, a proposta do PDV da Ford – que tem acordo de não fazer demissões em massa até 2023 – “é a maior do Brasil”. A empresa não indicou meta a ser atingida.

OCIOSIDADE

Há duas semanas, trabalhadores da Volkswagen aprovaram PDV para as quatro fábricas do grupo, que empregam ao todo cerca de 15 mil pessoas. O programa oferece até 35 salários extras para quem é funcionário há mais de 30 anos, valor que também segue tabela de acordo com o tempo de serviço.

A Volkswagen iniciou negociações alegando ter 35% de mão de obra excedente, ou cerca de 5 mil funcionários. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, mesmo que não atinja a meta, a empresa não fará cortes, mas pode adotar outras medidas de flexibilidade, como lay-off.

O PDV da General Motors teve adesão de 294 trabalhadores em São Caetano e de 235 em São José dos Campos (SP). A Renault, com fábrica em São José dos Pinhais (PR), adotou PDV para cortar 747 vagas, número igual ao de demissões feitas em julho e revogadas após greve de funcionários.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*