Economia, Notícias

Ford adota na América do Sul produção terceirizada de veículos

Ford adota na região produção terceirizada de veículos
Transit será produzida pela Nordex, do Uruguai, em versões furgão e van. Foto: Divulgação/Ford

Após decidir fechar suas três fábricas no Brasil e passar a ser importadora, a Ford resolveu adotar na América do Sul a mesma estratégia de terceirização da produção que o grupo americano adotou em outras regiões na produção de veículos comerciais, segmento que tem crescido no mundo todo.

Assim como faz na China, na Turquia e na Rússia, a Ford fez parceria com a empresa Nordex, do Uruguai, para produzir a Transit em versões furgão e van. Há empresas brasileiras fornecendo peças para a produção, mas o número não foi revelado nesta terça-feira (13), quando a montadora apresentou o veículo à imprensa local.

O grupo criou no país uma divisão específica para a venda de comerciais leves. A Transit estará à venda no Brasil ainda neste ano, primeiro na versão minibus para transporte escolar e turismo. No próximo ano chega a versão furgão, para transporte de cargas.

A Transit será vendida nos cerca de 110 pontos de venda de concessionárias da marca mantidas após a reestruturação que se seguiu ao anúncio do fim das operações locais. É menos da metade do que a marca tinha quando vendia automóveis, ou 287 revendas.

O vice-presidente da Ford América do Sul, Rogelio Golfarb, explica que um dos motivos para a alta procura de furgões em todos os mercados é o crescimento das vendas online, principalmente após o início da pandemia de coronavírus.

A empresa estima um mercado de 66,6 mil minibus e furgões na América do Sul neste ano (alta de 15% em relação a 2020), e de 33,1 mil para o Brasil (alta de 7% ante o ano passado).

A decisão pela parceria com a Nordex, segundo Golfarb, é o padrão da qualidade na produção em volumes mais baixos de veículos, a equação de custos e a experiência no ramo. O grupo já produz Peugeot Expert, Citroën Jumpy e Kia Bongo.

Com fábrica na região, a Ford também continua se beneficiando do acordo de redução de tarifas do Mercosul, assim como o livre comércio no futuro.

As duas empresas compartilharam investimento de US$ 50 milhões em uma linha exclusiva para a produção da Transit, veículo que é líder em vendas no segmento nos EUA e na Europa.

Ford afirma que a vantagem da Transit em relação aos concorrentes será um inédito serviço de conectividade que permitirá acesso rápido a atendimentos para manutenção, resolução remota de problemas, envio de reboque, entre outros. Entre os concorrentes estão  Renault Master, Mercedes-Benz Sprinter, Hyundai HR, Iveco Daily e BYD T-3, o único na versão elétrica.

Segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), que representa as concessionárias, foram vendidos até agosto 22.122 furgões, 15,8% a mais em relação ao mesmo período de 2020.

Ford negocia a venda de suas fábricas situadas em Taubaté (SP), Camaçari (BA) e Horizonte (CE), mas não recebeu proposta efetiva de compra.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*