Diadema, Minha Cidade, Sua região

Florestan Fernandes quer encaminhar jovens de Diadema ao Adolescente Aprendiz

Instituição aguarda laudo dos bombeiros para retomar implementação de um curso técnico. Foto: DivulgaçãoA Fundação Florestan Fernandes (FFF), instituição municipal de Diadema que oferece cursos profissionalizantes gratuitos, se prepara para uma nova fase em sua atuação: o Ministério do Trabalho avalia pedido para credenciar o equipamento como certificador do programa Jovem Aprendiz. “Hoje temos a Sodiprom que realiza esse trabalho, encaminhando os jovens para o mercado de trabalho. Queremos ser mais uma porta para esse início na vida dos adolescentes”, afirmou o presidente da Fundação, Carlos Vianna.

A FFF já obteve aval do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente, atestando que oferece capacitação aos jovens do município, e a expectativa é que até o fim do ano a autorização seja emitida pelo Ministério.

“Quando pudermos ser uma certificadora, os adolescentes que integrarem o programa trabalham meio período nas empresas que fazem parte da iniciativa e no outro período fazem sua qualificação conosco”, completou Vianna. Pelo convênio, as empresas remuneram quem presta a qualificação e isso vai proporcionar a criação de um fundo para ser investido nas melhorias dos cursos.

“Logo que assumi a gestão deste equipamento participei de uma reunião com pais e alunos, e uma das principais reivindicações era esse encaminhamento para o mercado de trabalho”, pontuou o presidente. O curso que a FFF vai oferecer dentro do programa Jovem Aprendiz é o de auxiliar de escritório, que poderá ser feito por adolescentes a partir dos 14 anos.

Balanço

Vianna destacou o aumento de 38,6% na oferta de vagas dos 23 cursos profissionalizantes que a instituição oferece gratuitamente aos moradores de Diadema. “Em conjunto com a equipe pedagógica, percebemos que poderíamos diminuir a carga horária de alguns cursos, focando na parte prática e sem reduzir a qualidade”, explicou. “Dessa forma, temos hoje 1.037 vagas, 239 a mais do que no ano passado”, completou.

O índice de evasão é inferior a 10% e nos cursos para juventude, que têm como foco noções básicas para o ingresso no mercado de trabalho, além de abordar comportamento, ética e cidadania, é perto de zero. “Nesses seis meses, buscamos reduzir custos e melhorar o atendimento como um todo”, pontuou.

A instituição aguarda o laudo de auto de vistoria do corpo de bombeiros (AVCB), a fim de retomar o processo para implementação de um curso técnico. Anunciado em 2015 pelo então presidente Joeder de Souza, a autorização da Secretaria de Estado da Educação depende desse documento. “Infelizmente, vamos ter que começar do zero. Estamos fazendo algumas adequações junto à Secretaria de Obras e só depois disso poderemos definir qual será o curso”, explicou Vianna.

A instituição também tem ampliado a sua presença na cidade por meio de palestras em escolas da rede estadual, com alunos em idade de frequentar os cursos profissionalizantes (a partir dos 14 anos). “Tem sido uma experiência bastante positiva tanto entre os alunos quanto entre os professores e diretores. Muitas vezes o jovem não sabe por onde começar a procurar um emprego, um curso, e essas palestras tem suprido essa questão”, destacou. Outras informações sobre a instituição podem ser obtidas no site florestan.org.br.

Corte nos gastos

Anova gestão da Fundação Florestan Fernandes, que assumiu a direção do equipamento no início do ano, comemora a economia anual de R$ 38 mil com a entrega de um imóvel onde eram ministrados os cursos de Gastronomia e Mecânica de Motos. “Remanejamos as aulas para unidades próprias e conseguirmos garantir esse corte. Também instalamos gás encanado em todo o prédio, para aumentar a segurança de alunos e funcionários”, afirmou  Vianna.

O gestor relatou também que uma antiga reivindicação dos funcionários foi atendida, com a disponibilização de convênio médico para concursados e comissionados. “Implementamos também o pagamento de funcionários por meio eletrônico, acabando com a burocracia de pagamentos por cheque”, afirmou.

Uma análise e readequação na grade dos cursos possibilitou o incremento de 239 novas vagas, totalizando 1.037 oportunidades nos 23 cursos. “Voltamos também as aulas de fotografia, que têm uma grande procura e foram suspensas no último semestre do ano passado”, relatou.

A instituição busca formas de medir a empregabilidade dos alunos que se formam. “Temos poucas informações, a maioria por meio dos professores, mas é importante esse dado, até para podermos aprimorar as aulas”, concluiu.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*