Comportamento, Serviços

Fé e criatividade para vivenciar a Semana Santa

Dom Pedro fala em fé e criatividade para vivenciar a Semana Santa
Dom Pedro: “são muitos os meios de comunicação que podem ser utilizados”. Foto: Reprodução TV Aparecida

Em entrevista concedida à TV Aparecida esta semana, o bispo da Diocese de Santo André, Dom Pedro Carlos Cipollini, disse que neste período em que a humanidade passa pela pandemia do covid-19, a união da fé e criatividade se torna essencial para uma boa experiência da Semana Santa.

“Penso que neste momento, a criatividade é muito importante. São muitos os meios de comunicação que podem ser utilizados. E o povo de Deus tem o ‘sensus fidelium’, o sentido da fé. Um olfato, um faro para perceber como caminhar em tempos difíceis. Então devemos apelar ao bom senso e criatividade para nesse momento, através da fé, estarmos unidos”, sintetiza.

Dom Pedro continuou a reflexão sobre a Igreja em tempos difíceis, principalmente em época de perseguição, sempre desenvolver uma grande criatividade para manter-se unida.

“Estamos hoje privados das reuniões, de estarmos reunidos. Então, devemos caprichar no ‘estarmos unidos’. O que Jesus pediu para nós é a união. A união faz a presença de Jesus acontecer. Reunido sem estar unido, como está a presença de Cristo ali?”, indaga Dom Pedro, sobre o desafio de as pessoas participarem das celebrações em suas casas, da maneira correta, mesmo sem a presença na igreja.

Dicas para a Semana Santa

Neste período de quarentena prorrogado pelo governo do Estado de São Paulo por mais 15 dias, a programação de transmissões ao vivo pelas redes sociais e YouTube se tornou fundamental para acolher e contemplar os fiéis em isolamento social. O bispo diocesano orienta a preparação adequada para as celebrações em casa.

“Mesmo que não nos vejamos, somos um só corpo. A igreja de pedras vivas, como diz São Pedro. Então, lá na sua casa, os sinais são importantes. Faça um altarzinho. Se você tem uma imagem de Cristo crucificado, coloque-la uma flor que simboliza o nosso amor, a nossa dedicação, a nossa oferta a Deus. Porque ela tem um perfume. Não tem o incenso, mas tem o perfume da flor. Não tem tantas outras coisas que você vê na igreja. Mas você tem os sinais na tua casa. A Bíblia Sagrada, um crucifixo, uma água benta. E você pode achar na internet muitas orações feitas para esse tempo”, descreve.

Igreja doméstica

Ao responder uma pergunta de um telespectador, Dom Pedro recordou o Concilio Vaticano II, quando trata da Igreja, no número 2 do documento Lumen Gentium, que cita a igreja doméstica.

“Toda família, onde tem uma, duas, três pessoas consideramos uma igreja doméstica. E devemos rezar juntos sempre, mesmo fora desse clima que estamos vivendo. Então, se você está em casa e quer viver a Semana Santa, tenha na sua consciência, a certeza, de que Deus habita no mais profundo de nós mesmos”, esclarece.

O bispo recorreu ao pensamento de Santo Agostinho para exemplificar a relação entre o ser humano e Deus.

“O céu, diziam muitos padres do deserto é o coração do homem. Ali ele encontra Deus. Santo Agostinho diz: “Beleza tão antiga e tão nova”, referindo-se a Deus. “Tarde te amei. Você era procurado por mim, fora de mim, mas descobri que você está dentro de mim”. Então Deus habita o nosso coração. E outra. Quando você tem uma fé firme e verdadeira, você começa a perceber que tudo está interligado. Não é Deus que está presente no mundo. É o mundo que está nas mãos de Deus”, explica.

Celebração em casa

Durante a participação, Dom Pedro ainda exaltou a iniciativa da Diocese de Santo André, por meio da Comissão Diocesana de Liturgia, de elaborar o ABC Litúrgico para Celebração em Casa.

“A nossa Diocese de Santo André está editando folhetos litúrgicos para celebrar a Semana Santa. Você pode acessar no site da Diocese. Acompanhe online, pelo computador ou celular, imprima e acompanhe as missas. Essa e outras iniciativas destacam a fé e a criatividade”, finaliza.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*