Economia, Notícias

Família & Finanças: Sua aposentadoria

Família & Finanças
Sérgio Biagioni Junior

Por Sérgio Biagioni Junior

Caro(a) leitor(a), preparar-se para a aposentadoria deveria fazer parte da educação financeira ao longo da vida do brasileiro, mas infelizmente não é isso que ocorre. A  maioria das pessoas trabalha a vida inteira, recolhe suas contribuições ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e só descobre qual será o valor de seu benefício, no exato momento em que abre a carta de concessão de aposentadoria. Isso quando conseguem se aposentar.

Portanto, você precisa pensar e planejar agora, hoje mesmo, como será este momento de transição em sua vida, afinal, não podemos ficar dependentes, exclusivamente, da previdência pública, para continuar nossa vida quando estivermos mais velhos.

Planejar a aposentadoria demanda organização financeira, disciplina e muita reflexão de como você imagina que será sua vida de aposentado. Assim, seguem algumas dicas para você iniciar seu projeto de aposentadoria:

– Quando você quer se aposentar? Com quantos anos estima parar de trabalhar?

– Quanto imagina ser uma renda que lhe garanta uma vida confortável?  Leve em conta as despesas que tem hoje e outras que possam vir a ocorrer, como a elevação do valor de seu plano de saúde. Lembre-se também de que algumas despesas deixaram de existir, como escolas dos filhos, prestação da casa própria.

– Qual será o valor necessário para viver de renda? Aqui você pode utilizar calculadoras de aposentadoria que estão disponíveis em sites próprios sobre o assunto.

– Com base no montante total necessário, você terá condições de descobrir quanto será o valor mensal a ser “guardado”, pelo período de tempo até a data que planejou se aposentar.

Lembre-se de que a aposentadoria nada mais é que a soma corrigida de contribuições mensais, feitas ao longo de um determinado período de tempo, também chamado de período de acumulação, ao final do qual apura-se um valor total e, sobre esse valor, aplica-se uma taxa de juros, gerando, portanto, um valor chamado de renda.

Por isso se diz “viver de renda”: porque o possuidor desse valor recebe mensalmente a renda auferida pelos juros do recurso investido.

Pense nisso.

Se você ficou com alguma dúvida, me manda um e-mail que te explico. Meu e-mail é falandofacil123@gmail.com e meu site é www.sergiobiagioni.com.br.

 

Sérgio Biagioni Junior é planejador financeiro pessoal, certificado pela CEA-Anbima. É formado em Administração de Empresas, pós-graduado em Banking, MBA em Controladoria e Custos e pós-graduado na PUC-RS em Planejamento Financeiro e Finanças Comportamentais.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*