Economia, Notícias

Família & Finanças: A renda está cada vez mais apertada…

Família & Finanças
Sérgio Biagioni Junior. Foto: Arquivo Pessoal

Por Sérgio Biagioni Junior

Caro(a) leitor(a), há algum tempo, mas com mais intensidade desde o início da pandemia de covid-19, o Brasil e o mundo vivem grande desaceleração na atividade econômica em todos os setores, com impactos diretos na manutenção de empregos e saúde financeira das empresas, tornando a renda das famílias cada vez menor e, portanto, mais apertada.

Ao analisar a economia brasileira isoladamente, constata-se que muitas famílias mudaram hábitos, cortaram excessos e passaram a “olhar” com maior rigor seus gastos e despesas, buscando evitar o aumento do endividamento. Porém, infelizmente, mais de dois terços das famílias de classe média estão endividadas em níveis superiores a sua real capacidade de pagamento.

Não bastasse a insegurança no emprego, a falta de clientes para quem é empresário e a presença do novo coronavírus, o brasileiro ainda vê os preços de alimentos, serviços e combustíveis aumentarem quase diariamente, ou seja, a inflação também esta presente entre nós.

O controle efetivo da pandemia é um fator importante, se não decisivo, no retorno da atividade econômica, mas não podemos acreditar que somente a vacina resolverá nossos problemas. Precisamos intensificar os cuidados em nossos relacionamentos interpessoais, continuar usando máscaras e, principalmente, evitar lugares com aglomeração de pessoas. Estas são ações individuais que podem ajudar inclusive na retomada da economia.

Você já pensou nisto?

Vivemos um momento complexo, no qual precisamos manter o controle e buscar alternativas, mesmo que temporárias, para superá-lo.

Muitas pessoas têm buscado conhecimento em funções ou atividades diferentes de sua rotina profissional ou mesmo criando novas formas de prestação de serviços, visando se adequar à nova situação presente e, evidentemente, auferir mais recursos financeiros para garantir, minimamente, sua subsistência e de sua família.

Portanto, caso você tenha se identificado com alguma situação apresentada acima ou, em especial, com a redução de renda, procure observar em sua atividade ou em outra que esteja próxima a você uma oportunidade de gerar e criar nova forma de trabalho.
Alterando nossa disposição, sem dúvida mudaremos nossa situação!

Ficou com alguma dúvida? Envie uma mensagem que eu esclareço. Meu e-mail é: falandofacil123@gmail.com.

Sérgio Biagioni Junior trabalhou mais de 25 anos no mercado financeiro. É formado em Administração de Empresas, pós-graduado em Banking, MBA em Controladoria e Custos. Cursa pós-graduação na PUC-RS em Planejamento Financeiro e Finanças Comportamentais. Atualmente é mentor e planejador financeiro especializado em profissionais liberais, pessoas físicas e finanças familiares.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*