Brasil, Editorias, Notícias

Exército chega a Natal para reforçar segurança nas ruas

Cerca de 650 homens do Exército chegaram a Natal ontem (20) para fazer policiamento ostensivo a fim de tentar conter o caos que se espalha pela cidade depois de um motim que deixou ao menos 26 mortos no presídio de Alcaçuz desde o dia 14. Hoje (21), outros 750 militares chegarão à capital potiguar e, até domingo (22), 1.846 homens do Exército no total já estarão patrulhando as ruas de Natal e região metropolitana, anunciou o ministro da Defesa, Raul Jungmann.

“A ordem pública, o controle social, a tranquilidade, a propriedade, o direito de ir e vir dos cidadãos e cidadãs aqui de Natal e da Grande Natal será assegurado. Não vamos admitir descontrole, não vamos admitir que venha a imperar o medo e a desordem aqui como da vez anterior”, disse Jungmann antes de se reunir com o governador do Estado, Robinson Faria (PSD), ontem – o governador pediu a presença das Forças Armadas após os ataques deixaram uma série de ônibus queimados desde quarta.

Presos feridos foram colocados em macas pelos companheiros e puxados por policiais. Foto: Avener Prado/FolhapressA ação dos militares vai durar dez dias. “Não vamos substituir nenhuma função das polícias. A exceção daquelas que diz respeito a policiamento ostensivo e repressivo nas ruas, garantindo a lei e a ordem”, disse Jungmann.

Presídio de Alcaçuz

Policiais militares retiraram mais três detentos feridos da penitenciária de Alcaçuz, na região metropolitana de Natal, na tarde de ontem, no sétimo dia de rebelião. Os presos feridos, que seriam membros do PCC (Primeiro Comando da Capital), foram colocados em macas pelos companheiros e puxados por policiais e socorridos das guaritas do presídio, já que a entrada da unidade estaria sob controle do Sindicato do Crime do RN, facção rival.

Outros três detentos já tinham deixado o local em ambulâncias na noite de quinta (19) após a entrada dos homens do Batalhão de Choque. A Secretaria de Segurança Pública, não divulgou o total de feridos e de mortos.

O confronto mais violento aconteceu na manhã de quinta, entre membros do PCC e do Sindicato. A confusão fez com que o Batalhão de Choque entrasse novamente no presídio para evitar novos enfrentamentos. Mesmo com policiais militares na unidade, porém, os detentos voltaram a circular livremente com armas, celulares pela penitenciária ontem, inclusive pelos telhados. Até o momento, o sistema prisional do Rio Grande do Norte contabiliza oficialmente 27 mortes, sendo 26 em Alcaçuz.

Ataques

Na última quarta (18), a violência ultrapassou os muros das penitenciárias e chegou às ruas. Segundo o governo estadual, já foram contabilizados 38 ataques, sendo 34 ocorrências de incêndios e princípios de incêndio contra veículos e uma delegacia, e mais quatro ocorrências de disparos de arma de fogo contra prédios públicos.

Com isso, a população de Natal registra nesta sexta o terceiro dia sem transporte público. Os veículos chegaram a circular em alguns momentos, mas acabaram retornando às garagens nos últimos três dias. Táxis e ônibus escolares estão autorizados a fazer lotação e se tornaram uma opção para a população. (Folhapress)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*