Minha Cidade, Regional, Sua região

Estado sinaliza flexibilização da quarentena no ABC para o próximo dia 15

Estado sinaliza flexibilização da quarentena no ABC para o dia 15
Vinholi: “Houve imenso avanço (nos critérios de saúde) do ABC ao longo desta semana”. Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/Estadão Conteúdo

O governo do Estado manteve o ABC na Fase 1 (verme­lha) do Plano São Paulo de reabertura da economia. Dessa forma, os sete municípios ain­da não poderão flexibili­zar a quarentena adotada em 24 de março de­vido à pandemia do novo coronavírus e que res­tringiu o comércio e os serviços aos setores essenciais.

A decisão não atendeu ao pe­dido do Consórcio Intermunicipal – que, em visita ao Palácio dos Bandeirantes no último sábado (30), entre­gou documento com indicado­res que comprovariam a capaci­dade do ABC de ascender à Fase 2 (laranja), que permite a abertura controlada de shoppings, comércio, imo­bi­liárias e concessionárias. O colegiado esperava que o ABC fosse reclassificado ontem (3).

Apesar da manutenção na Fase 1, o secretário es­tadual de Desenvolvimento Re­­gional, Marco Vinholi, si­na­­­lizou, em coletiva conce­dida ontem no Palácio dos Bandeirantes, que o ABC poderá re­ceber a classificação laranja na próxima quarta-feira, quando o Estado divulgará novo balan­ço do Plano São Paulo e eventuais mudanças para fa­ses mais ou menos restritivas da reabertura econômica.

Alterações no ma­­pa anun­cia­do pelo go­ver­nador João Doria (PSDB) e que divide o Estado em 22 áreas só serão efetivadas a partir do dia 15.

“Houve imen­so avanço (nos critérios de saúde) tanto no ABC como na Baixada Santista ao longo desta semana. Se seguir essa tendência, é possível sim (a reclassificação para a Fase 2). A capaci­dade hospitalar da Grande São Paulo está se fortalecendo com a ajuda dos prefeitos e do go­verno do Estado. Vamos acompanhar os dados até a próxima terça-feira e, se consolidar, o governador apresentará a mudança nessas regiões na quarta”, afirmou Vinholi.

Segundo o governo do Estado, o ABC criou 47 leitos de UTI na última semana, mas o número foi insuficiente para a mudança na coloração.

CRITÉRIOS

Antes mesmo da coletiva, o presidente do Consórcio In­termunicipal e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (Cidadania), foi in­formado por telefone, pelo s­ecretário es­tadual de Desenvolvimento Regional, de que o ABC não seria reclassificado para a Fase 2.

Maranhão entende que o ABC já atende aos critérios de saúde para ir à Fase 2. Segundo o presidente do Consórcio, a região possui 30 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinados à covid-19 para cada 100 mil habitantes, sendo que o mínimo exigido é dez.

Além disso, segundo o pre­sidente do colegiado regional, a ocupação média dos leitos de UTI nos sete municípios na última semana foi de 57% – o máximo exi­gido seria 60%.

Maranhão não acredita que o ABC tenha ficado fora da Fase 2 por critérios políticos. “Como há um decreto que mantém a qua­rentena até o dia 15, acredito que o Estado achou por bem esperar para que a Grande São Paulo possa se estruturar me­lhor e outras regiões se equiparem à situação do ABC”, afirmou.

O prefeito reafirmou, porém, que pessoalmente defende a ado­ção do lockdown (bloqueio total), devido ao avan­­ço da pandemia nas últimas semanas. Segundo balanço divulgado na última terça-feira, o ABC soma 7.890 casos e 626 mortes pela covid-19. Há ainda 13.501 casos e 77 óbitos em observação.

 

Estado garante fornecimento de gás e água sem corte por inadimplência durante pandemia

O governador João Doria (PSDB) anunciou ontem (3) a prorrogação no abastecimento ininterrupto de água e gás na­tural, em caso de inadimplência, até julho. O Estado está em tratativas também para extensão da medida ao fornecimento de energia elétrica. As ações garantem serviços essenciais, especialmente à população de baixa renda, e são fundamentais no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

“O governo de São Paulo garante a não interrupção do fornecimento dos serviços essenciais para pessoas de baixa renda, que estarão protegidas pela negociação do governo de Estado com os concessio­ná­rios desses serviços. Não há imposição. Há entendimento, razão, compaixão e compreensão. A suspensão dos cortes desses serviços beneficia mais de 2 milhões de pessoas em todo o Estado”, ressaltou Doria.

O acordo foi selado após diálogo com a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) e as empresas Sabes­p, Companhia de Gás de São Pau­lo (Comgás), Gás Natural São Paulo Sul (Naturgy) e Gás Brasiliano Distribuidora.

A interrupção no fornecimento gás poderá ocorrer ape­nas em casos de emergência. Além disso, as famílias com benefício das tarifas Residencial Social e Favela terão isenção do pagamento das contas de água.

um comentário

  1. Milhares morrerão não região por causa dessa decisão

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*