Arte & Lazer, Social

Epitácio Belo Ramos, um do emancipadores de Diadema, ganha grafite em passagem que tem seu nome

Grafite traz um pouco da história de Epitácio Belo Ramos. Foto: Divulgação
Grafite traz um pouco da história de Epitácio Belo Ramos. Foto: Divulgação

Epitácio Belo Ramos, participante ativo no movimento de emancipação de Diadema, completaria 101 anos hoje (21) e, em lembrança à data, recebeu uma ho­menagem especial dos familiares: a passagem no Sítio dos Corr­eias que leva seu nome ganhou grafite que conta um pouco de sua trajetória.

Na década de 1950, Epitácio deixou a Chapada Diamantina com a família e veio para São Paulo buscar uma mudança de vida. Na “metrópole”, para sustentar a família vendia frutas em um carrinho de mão, substituído com a melhora das condições financeiras por uma carroça puxada por cavalo.

Com muito esforço, comprou no início de 1953, na Vila Conceição, ainda Distrito de São Bernardo, dois lotes, onde construiu três cômodos com a ajuda dos irmãos.

Epitácio Belo Ramos fale­ceu em 31 de outubro de 1992, aos 74 anos, com a mensagem de que o mundo é a melhor escola que existe.. Foto: Arquivo pessoal
Epitácio Belo Ramos levava a mensagem de que o mundo é a melhor escola que existe.. Foto: Arquivo pessoal

Com a vinda de novos moradores para a região, um grupo, incluído Epitácio, liderou o movimento pela emancipação do então vilarejo. O movimento formado por políticos da localidade – como o professor Evandro Caiaffa Esquivel – e os moradores da Vila Conceição obteve êxito e o ‘sim’ pela emancipação venceu o plebiscito no dia 24/12/1958.

Epitácio Belo Ramos fale­ceu em 31 de outubro de 1992, aos 74 anos, com a mensagem de que o mundo é a melhor escola que existe.

Em setembro de 2020, por meio de projeto do então vereador Dr. Albino, foi criada a Passagem Epitácio Belo Ramos, no Sítio dos Correias, em sua homenagem.

um comentário

  1. Justa

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*