Economia, Notícias

Enviar IR incompleto é alternativa para evitar o pagamento de multa

Enviar IR incompleto é alternativa para evitar o pagamento de multa
No site da Receita é possível baixar o programa da declaração. Foto: Marcello Casal Jr./ABr

Quem está obrigado a declarar o Imposto de Renda 2018 (ano-base 2017), mas não conseguiu reunir todos os documentos necessários para prestar contas tem alternativa para fugir da multa por atraso.

A solução é preencher a declaração com o mínimo de informações possível e enviá-la. Depois, o contribuinte pode fazer a retificação. O prazo para declarar o IR termina às 23h59 do dia 30 de abril.

A multa mínima por atraso é de R$ 165,74, mas o valor pode chegar a 20% do imposto devido no ano passado.

Até as 17h de ontem (25), quase 19 milhões de contribuintes tinham prestado contas à Receita Federal. O volume representa 66% das 28,8 milhões de declarações aguardadas pelo órgão.

“Pelo menos os dados cadastrais precisam ser preenchidos para que a declaração possa ser enviada. Depois, o contribuinte pode fazer a retificação”, explicou o supervisor nacional do IR, Joaquim Adir.

Segundo Adir, a declaração retificadora só poderá ser enviada a partir das 8h do dia 2 de maio. No dia 1º, os computadores da Receita param.

Um dos cuidados a serem tomados é entregar a declaração retificadora no mesmo modelo (completo ou simplificado) utilizado para a declaração original. Também é fundamental que o contribuinte possua o número do recibo de entrega da declaração anterior, para a realização do processo.

O supervisor nacional do IR lembra que a recomendação é não deixar a declaração para a última hora, pois isso reduz o tempo do contribuinte para esclarecer dúvidas.

“Quem entregar a declaração por último também precisa saber que, caso tenha restituição a receber, vai para o fim da fila. Ou seja, estará entre os últimos a resgatar o dinheiro”, disse Adir.

No último dia, são esperadas mais de 3 milhões de documentos. É obrigado a enviar a declaração do IR quem te­ve renda tributável superior a
R$ 28.559,70 no ano passado, entre outras regras.

Novidades

Neste ano, será obrigatória a apresentação do CPF para dependentes a partir de 8 anos, completados até o dia 31 de dezembro de 2017.

Na declaração de bens foram incluídos campos para informações complementares, como o número do Registro Nacional de Veículo Automotor (Renavam).

Outra mudança é a possibilidade de impressão do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) para pagamento de todas as cotas do imposto, inclusive as que estão em atraso.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*