Economia, Família & finanças

Entrei no cheque especial, e agora?

Olhei o saldo da minha conta e vi que está negativo… “Estou no cheque especial!” E agora, o que faço?

Certamente, uma luz amarela “acendeu” em suas finanças e se nada for feito rapidamente, esta luz se tornará vermelha e seus problemas financeiros aumentarão.

Então, é hora agir!

A primeira coisa a ser feita é descobrir qual foi o motivo financeiro que te fez entrar no cheque especial.
• Foi um gasto único que só ocorreu este mês?
• Foi um gasto que ocorreu este mês e que também ocorrerá em outros meses, quantos meses mais?
• Sua conta já “anda” com saldo negativo há muito tempo?

Pois bem, identificado o motivo e o período que este gasto permanecerá ativo em sua vida financeira, é hora de decidir o que será feito para liquidar com este “fantasma”.

Ocorre que, nestes momentos e nestas situações surgem inúmeras soluções prontas, tentadoras e à sua inteira disposição.
Basta escolher o prazo, digitar sua senha e como num passe de mágica, seus problemas com o cheque especial acabaram.

Pronto! Sua conta voltou ao “azul”.

Mas, tenha muito CUIDADO e ATENÇÃO, pois você pode ter montado um armadilha para você mesmo!

Eu explico como: Caso você decida por tomar um empréstimo com valor suficiente apenas para cobrir o saldo de sua conta, certamente, seus problemas financeiros serão ainda maiores no mês seguinte, pois, além de suas despesas normais do mês, você ainda tem a parcela do novo empréstimo para pagar, ou seja, novamente você entrará no cheque especial, desencadeando assim um novo o ciclo devedor, porém, maior que no mês passado.

Portanto, a decisão de contrair um empréstimo para cobrir saldos devedores, precisa ser bem calculada e deve considerar valores futuros que ainda serão pagos, além da nova parcela, pois caso contrário, esta decisão pode gerar uma “Bola de Neve” sem controle em suas finanças, prejudicando sua vida, seu nome e sua saúde.

O ideal e mais saudável às finanças é liquidar o saldo devedor do cheque especial com redução de despesas e verificação constante dos gastos mensais, tornando a entrada de dinheiro em sua conta maior que a saída.

Portanto, tenha sempre disciplina e conhecimento de seus gastos e despesas para evitar a utilização de seu cheque especial.
Boa sorte!

Sérgio Biagioni Junior trabalhou mais de 25 anos no
mercado financeiro. É formado em Administração de Empresas, pós-graduado em Banking, tem MBA em Controladoria e Custos e, atualmente, cursa pós-graduação na PUC-RS em Planejamento Financeiro e Finanças Comportamentais.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*