Diadema, Minha Cidade, Sua região

Empresa de Diadema investe em centros e abre vagas

Gabriel Freire, Cristiane Sacca e Kleyton José: “na crise existem as oportunidades”. Foto: Eberly Laurindo

A empresa Wagner Lennartz/Simonds Internatio­nal, que há 43 anos está instalada em Diadema, prepara-se para abrir dez centros avançados em serviços, os quais, além de ampliar o portfólio de atuação junto aos clientes, vai criar cerca de 50 novos postos de trabalho, sendo dez deles na cidade.

O setor de fabricação de serras industriais, tanto circulares quanto de fitas, passou nos últimos 12 meses por intensa reestruturação contábil e de gestão, o que proporcionou essa nova empreitada. A empresa, que originalmente era uma multinacional alemã e americana, enfrentava dificuldades financeiras quando teve toda a sua operação no Brasil comprada pelo Grupo Nemesis, especializado em recuperação de empresas. “Nacionalizamos toda a operação, focamos em redução de custos, mas sem abrir mão do know-how, dos funcionários altamente capacitados que atuam há anos no negócio”, explicou uma das sócias-proprietárias, Cristiane Sacca.

O investimento, feito em outubro de 2015, foi de aproximadamente R$ 2 milhões. “Nosso objetivo já era ampliar a diversificação de produtos para atuar em outros setores, uma vez que atualmente nosso foco é na indústria de madeira e metalmecânica. Vamos em busca de segmentos como papel, celulose e alimentício.”

Os dez centros avançados em serviços estão dentro da estratégia de ampliar a oferta de produtos e serviços para os clientes, empresas de grande porte como Gerdau, ArcelorMittal e Embraer. “Hoje, quando o cliente precisa afiar a serra circular, ou customizar a de fita para o seu segmento específico, precisa enviar o material para a nossa fábrica em Diadema. Com os centros, vamos otimizar o tempo, reduzir os custos e aperfeiçoar essa prestação de serviço”, afirmou o outro sócio-proprietário, Gabriel Freire.

Questionados sobre o que os levaram a investir neste atual momento de crise, foram taxativos. “Na crise existem as oportunidades. Estávamos diante de uma empresa consolidada no mercado, que atende com excelência seus clientes, que oferece produtos de alta qualidade e com muito potencial de crescimento”, pontuaram.

Capacitação

Com o objetivo de ampliar a oferta de mão de obra capacitada para operação de seu parque fabril, todo composto por máquinário alemão, a Wagner Lennartz/Simonds International quer realizar, em parceria com a prefeitura, cursos técnicos. “Temos, infelizmente, capacidade ociosa devido ao momento de crise, e poderíamos abrir as portas para que as aulas práticas sejam aqui”, explicou um dos diretores, Kleyton José.

A ideia é aguardar que passe o período de eleição para envio de proposta formal à administraçã municipal, que conta com a Fundação Florestan Fernandes, onde são ministrados cursos profissionalizantes como operador de empilhadeira e autocad. “Existem cursos que ensinam a operar as máquinas mais modernas, mas muitas empresas ainda têm tornos mais simples, e esses cursos quase não existem mais. Também não existe curso específico para fabricação de serras de cortes e nós poderíamos desenvolver a grade curricular, além de entrarmos com o conhecimento técnico”, destacou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*