Economia, Notícias

Em vídeo, Marinho pede que população não vote em Morando

Pregando “reflexão”, o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), publicou vídeo ontem (13) no qual pede que a população não dê espaço para o retorno “ao passado” durante o segundo turno do pleito municipal, que será realizado dia 30. Sem citar nomes, mas referindo-se ao deputado estadual Orlando Morando (PSDB), o petista também defende que os eleitores não votem em “candidato que só pensa em vingança” e que, supostamente, não dará continuidade às obras iniciadas em sua gestão.

“Peço que não vote pela volta ao passado dos alojamentos, das escolas de lata, da falta de cuidado com o meio ambiente, da saúde abandonada e da falta de políticas habitacionais. Peço que não dê o seu voto a quem não acredita na participação das pessoas na definição do futuro da nossa cidade e que não reconhece a necessidade de um olhar para os mais pobres”, disse.

Marinho, no entanto, evitou cravar posicionamento pessoal – que pende entre a neutralidade e o apoio ao deputado federal Alex Manente (PPS). Na semana passada, o diretório municipal do partido já havia declarado imparcialidade na segunda etapa da votação, liberando o voto de filiados e militantes. “Da minha parte vou exercer meu direito ao voto seguindo a minha consciência e peço que você reflita muito sobre o voto que dará no próximo dia 30. Pense no futuro da nossa cidade e no caminho de desenvolvimento que estamos seguindo hoje”, prosseguiu na gravação.

Plenária

Nesta segunda-feira (10), o PT de São Bernardo já havia organizado plenária na sede do Sindicato dos Metalúrgicos para orientar seus membros por posicionamento contrário a Morando. Na oportunidade, Marinho destacou que não estava pedindo votos a Alex, mas apenas “alertando” filiados sobre a relação do PSDB com a cidade. “O pessoal está perdido sobre o que fazer. A plenária está em sintonia com as definições do partido, que deliberou pela liberdade de seus filiados, mas com crítica contundente ao Orlando Morando”, disse o prefeito.

Na ocasião, Marinho também se colocou à disposição para rearticular o partido e preparar o terreno para 2018 e 2020, após derrota nas urnas no primeiro turno. “Se o partido desejar, posso até discutir no Estado a busca pela organização e ajudar na rearticulação. Isso não quer dizer que vou ser candidato a governador, isso é só em 2018. Seria para chacoalhar a poeira, animar a militância, trazer novas pessoas, agrupar projetos e preparar a discussão para 2018, que será um ponto de passagem para 2020”, destacou.

Marinho: “não votem em candidato que só pensa em vingança”. Foto: Eberly Laurindo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*