Economia, Notícias

Em outubro, indústria fechou vagas no ABC pelo 2º mês consecutivo

Em outubro, indústria fechou vagas no ABC pelo 2º mês seguidoO parque fabril do ABC vol­tou a fechar postos de trabalho em outubro pelo segundo mês consecutivo. Foram extintos 280 empre­gos, com queda de 0,16% no estoque de vagas. No mesmo mês do ano passado, houve a criação de 100 vagas.

Os dados integram levantamento mensal realizado pela Federação e pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp) e di­vulgado ontem (15).

Na comparação de outubro com igual mês do ano passado, o nível emprego na indústria regional caiu 1,51%, com a extinção de 1.250 empregos. Porém, no acumulado de janeiro a outubro, o saldo ain­da é positivo: foram aber­tas 550 vagas, o que mostra cres­cimento de 0,32% no contingente de trabalhadores.

A região vive a expectativa de encerrar 2018 com saldo po­si­tivo no emprego fabril pela primeira vez desde 2012. Porém, o lento rit­mo de crescimento da produção física e da atividade eco­nô­mica de forma geral po­dem jogar um balde de água fria sobre essa projeção. Em dezembro, historica­mente, o saldo entre con­tra­tações e demissões na indústria costuma ser negativo.

Dos 20 setores industriais acompanhados pela pesquisa das entidades, seis demitiram mais do que con­trataram na região, cinco ficaram es­tá­veis e nove geraram vagas. Os subsetores que mais contribuíram para a queda da ocupação em outubro foram: produtos de borracha e de material plástico (-0,76%), e veículos automotores e autopeças (-0,34%).

No setor automotivo, o mercado interno cresce na casa de 15% em 2018, mas hou­ve rever­são de expectativas de­vido à queda nas exportações de veículos para a Argentina, principal parceiro comercial da região, que sofre com crise cambial e, por isso, reduziu as encomendas.

No corte por regionais, a de São Bernardo foi a única que registrou aumento no número de vagas fabris (300). As diretorias de Santo André (que inclui Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra), São Caetano e Diadema extinguiram 550, 10 e 20 empregos, respectivamente.

ESTADO

No Estado de São Paulo, a indústria fechou mil postos de trabalho (queda de 0,05%) e interrompeu três meses seguidos de estabilidade na geração de empregos. No acumulado do ano, o saldo é positivo em 11,5 mil vagas.

 

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*