Mauá, Política-ABC, Sua região

Em Mauá, situação de Orosco no PMDB segue indefinida

Pressão para que Orosco deixe o cargo no partido é grande. Foto: Eberly LaurindoA situação do presidente do PMDB de Mauá, José Carlos Orosco Junior, segue indefinida. Após sua esposa, a ex-deputada estadual Vanessa Damo (PMDB) ter registrado boletim de ocorrência por violência doméstica contra ele, é grande a pressão para que deixe o cargo no partido e até seja expulso da legenda.

A segunda vice-presidente do PMDB Mulher e ex-vereadora de Diadema, Cida Ferreira, destacou que todo o partido está acompanhando a situação e esperando por um desfecho que o tire da sigla. “Estamos todas solidárias à Vanessa e revoltadas com a situação”, destacou.

A executiva estadual do partido deve se reunir nos próximos dias para deliberar sobre a decisão a ser tomada.

Questionado sobre o assunto, o presidente estadual do partido e deputado federal Baleia Rossi enviou, por meio de sua assessoria, a mesma nota que vem sendo distribuída para a imprensa desde o episódio. “Em primeiro lugar, oferecemos nossa total solidariedade e afeto à deputada Vanessa Damo, que é também presidente do PMDB Mulher em São Paulo. Apoiamos a ação e a investigação rigorosa da polícia. As conclusões vão balizar providências a serem tomadas por nossas instâncias partidárias”.

Na última semana,  Orosco pediu exoneração do cargo de secretário de Obras do governo Atila Jacomussi (PSB).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*